O V. Guimarães avançou esta quarta-feira com o pedido de insolvência da SAD do Sporting, alegando atrasos no pagamento da transferência do ala brasileiro Raphinha este verão para Alvalade. O pedido deu entrada no Juízo de Comércio de Lisboa e deverá agora seguir os trâmites legais, pedindo 30.0001 euros para possíveis recursos que possam existir no futuro.

Raphinha confirmado como reforço do Sporting e com cláusula de 60 milhões

Em agosto os leões tinham emitido um comunicado alegando que não havia “qualquer incumprimento ao plano de pagamentos estabelecido”, defendendo que tinha havido uma renegociação da liquidação das prestações. “Esse novo plano está a ser cumprido na íntegra e como tal repudiamos e desmentimos de forma veemente as notícias que dão conta desse alegado incumprimento, as quais não são certamente alheias ao facto de estarmos em vésperas de um importantíssimo jogo que a nossa equipa de futebol profissional tem para disputar”, destacava a missiva feita ainda pela anterior Comissão de Gestão do clube.

Apesar de ter sofrido uma lesão que o afastou cerca de dois meses, Raphinha leva 27 jogos (PATRICIA DE MELO MOREIRA/AFP/Getty Images)

Recentemente, o Record escrevia que os minhotos já estavam a estudar esse pedido de insolvência (dependente também de uma opinião da equipa de advogados) por haver ainda um montante de quatro milhões de euros por liquidar. Os dirigentes do Vitória terão tentado falar com os administradores da sociedade verde e branca sobre o tema mas a falta de respostas convincentes terá levado a esta posição de força por parte do clube liderado por Júlio Mendes.

“É pública a situação do Sporting, assim como o trabalho que estamos a desenvolver para a resolver. Estranhamos a posição do Vitória Sport Clube, na medida em que preferem o histerismo público em vez de esperar pela solução de curto prazo que propusemos e que ignoraram, mas não deixaremos de distinguir quem se portou com dignidade e respeitou a instituição Sporting, e quem, de uma maneira mais direta ou menos direta, e sem nenhuma vantagem, nos desrespeitou”, comentou em resposta João Sampaio, administrador da SAD do Sporting e vice-presidente do clube.

“A Sporting SAD está em incumprimento contratual, o qual se agravou há sensivelmente dois meses, e de lá até então, mais não fez do que protelar a situação sem que seja verdade que tenha apresentado qualquer ‘solução de curto prazo’ credível, atuando com um profundo desrespeito pela nossa instituição. A Vitória Sport Clube, Futebol SAD não ousará misturar o comportamento de alguns dos responsáveis da Sporting SAD com a Instituição Sporting, a qual nos merece grande respeito. Tal como a Sporting SAD também a Vitória SAD tem compromissos a honrar e, por isso, não pode consentir que o incumprimento de uns interfira na sustentabilidade financeira de outros”, responderam os minhotos num texto assinado por Júlio Mendes.