O negócio foi dado nos mesmos moldes em janeiro mas não passou à prática. Não passou aí, vai passar no verão: Éder Militão, central contratado pelo FC Porto em agosto de 2018 ao São Paulo, será o primeiro reforço de Zinedine Zidane na nova era do técnico francês no Real Madrid, segundo avançou na edição impressa desta quinta-feira o jornal Marca e confirmou esta manhã o clube espanhol através de comunicado oficial. Também os dragões enviaram o negócio para a CMVM.

De acordo com a publicação, o negócio deveria ser comunicado em breve e implicaria a saída de Jesús Vallejo do plantel, jogador que antes tinha estado emprestado duas temporadas a Saragoça e Eintracht Frankfurt. Militão, de 21 anos, segue assim os passos de outros defesas que se transferiram dos azuis e brancos para os merengues, como Pepe (central que passou dez anos depois para o Besiktas e está agora de novo no FC Porto) ou Danilo (lateral que atua hoje no Manchester City).

Há ainda um detalhe importante revelado com a notícia: além de haver total sintonia sobre o montante em causa e as restantes condições, o jogador já tinha feito exames médicos na noite desta segunda-feira, no Porto. Curiosamente, esse foi também o dia em que Zinedine Zidane foi oficialmente apresentado como novo técnico, numa conferência que começou às 19 horas. Éder Militão irá assinar contrato por seis temporadas, ficando assim ligado ao clube até 30 de junho de 2025.

Entre os três golos apontados, houve um decisivo: Militão fez a diferença na deslocação à Vila das Aves (MIGUEL RIOPA/AFP/Getty Images)

Na temporada de estreia na Europa, o defesa que começou por fazer dupla com Felipe no eixo da defesa e passou depois a ser mais vezes utilizado como lateral direito na sequência da chegada de Pepe ao Dragão leva um total de 34 encontros oficiais pelos azuis e brancos entre Campeonato, Liga dos Campeões, Taça de Portugal e Taça da Liga (3.024 minutos), tendo marcado três golos. Recentemente, o jogador falhou a deslocação a Tondela após ter violado o regulamento interno, regressando depois aos convocados como suplente não utilizado com o Sp. Braga (Taça de Portugal) e com o Benfica (Campeonato). Militão voltou depois às opções iniciais de Sérgio Conceição na receção à Roma, jogando os 90 minutos no encontro frente ao Feirense.

O internacional brasileiro será assim uma das maiores vendas de sempre dos dragões, sendo que existe outro clube a “lucrar” com o negócio: o São Paulo deverá receber um valor a rondar os 6,7 milhões de euros, pelos 10% de uma futura transferência que tinha ficado garantido na altura da venda e pelo montante que diz respeito aos mecanismos de solidariedade para o conjunto formador, como explica o Globoesporte. Ainda assim, Militão terá conseguido sempre uma valorização enorme de mais de 500% em menos de um ano, depois de ter sido contratado por 8,5 milhões para ocupar a vaga deixada em aberto por Iván Marcano: sete milhões pelo passe ao conjunto brasileiro e mais 1,5 milhões de encargos pela transferência.

Notícia atualidade às 11h15 de dia 14 de março de 2019, quinta-feira