Éder Militão, central brasileiro que em condições normais seria titular no encontro do FC Porto esta noite em Tondela (a única dúvida era perceber se continuava no eixo da defesa ou se voltava à lateral direita), não foi convocado por Sérgio Conceição para este encontro por motivos disciplinares, depois de ter sido apanhado numa discoteca de madrugada esta semana.

“Todos os jogos são encarados como finais” garante Sérgio Conceição

De acordo com o jornal O Jogo, o internacional brasileiro estava a comemorar o aniversário de Luizão, jogador da equipa B dos azuis e brancos que já tinha sido companheiro de Militão no São Paulo e que celebrou na passada quarta-feira 21 anos. O central não terá cumprido as normas do regulamento disciplinar em relação a saídas noturnas e, como tal, ficou afastado da partida em Tondela, na antecâmara do clássico no Dragão frente ao Benfica (sábado, dia 2 de março). Também Luizão deverá ser castigado em termos internos, falhando assim o compromisso do FC Porto B em Arouca no próximo domingo.

Contratado ao São Paulo, Éder Militão tem sido um dos indiscutíveis dos campeões nacionais, somando já um total de 32 jogos oficiais na presente temporada entre Campeonato, Taça de Portugal, Taça da Liga e Liga dos Campeões, num total de 2.831 minutos com três golos apontados. Em paralelo, o defesa que tem uma cláusula de rescisão de 50 milhões de euros e que tem sido apontado de forma insistente ao Real Madrid no próximo verão, fez a estreia pela equipa principal do Brasil.

Éder Militão é a prioridade do Real Madrid para reforçar o setor defensivo

Desta forma, Sérgio Conceição tem mais uma baixa numa lista de opções que já contava com várias ausências, por castigo (Soares, que viu o quinto amarelo com o V. Setúbal) e por lesão (Danilo, Marega e Aboubakar). De referir que, em caso de triunfo esta noite em Tondela, o FC Porto chega ao próximo encontro com o Benfica com a certeza de que lidera o Campeonato. Pelo meio, na terça-feira, haverá ainda a primeira mão da meia-final da Taça de Portugal frente ao Sp. Braga.

Éder Militão tem conseguido fazer a diferença nos lances de bola parada, levando já três golos (MIGUEL RIOPA/AFP/Getty Images)

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

De referir que este não é o primeiro caso disciplinar do FC Porto na presente temporada. Já depois da chegada com atraso de Marega no período de pré-temporada (situação justificada pelo jogador aos responsáveis azuis e brancos mas que fez com que falhasse o arranque da época oficial), Bazoer, médio holandês contratado por empréstimo aos alemães do Wolfsburgo, foi afastado do conjunto principal para a equipa B e acabou mesmo por sair em janeiro. “Quando digo que há situações que ficam à porta do Olival, esta não é uma delas. É para ficar cá dentro, mas de parte. Vocês sabem como é a minha forma, como é a do FC Porto: quando há algum ato que sai fora dos carris, do barco… Quando estamos todos a remar para o mesmo lado e há um que mete um dedo de fora, que seja só a velocidade do barco que vá uma unha mais devagar, pode ser por essa unha que perdemos o Campeonato no final da época, e isso eu não quero. Tudo o que seja remar contra a maré tem vida difícil. Muitas vezes, não sou eu, é o próprio grupo. Tenho gente comprometida, e quem não está assim, não pode estar no grupo”, justificou Sérgio Conceição na altura, sem entrar em mais detalhes sobre o tipo de problema do jogador que está agora no Utrecht.

Dose dupla de reforços no Dragão: Jorge e Bazoer a caminho por empréstimo com opção de compra

Mais recentemente, Jorge, lateral brasileiro que chegou por empréstimo do Mónaco para ser uma alternativa a Alex Telles no lado esquerdo da defesa, também passou a trabalhar com a equipa B, embora o empresário do jogador tenha negado qualquer tipo de problema disciplinar para a medida – e sem que houvesse uma justificação oficial para essa “despromoção”. O jovem jogador esteve quase de saída neste mercado de janeiro mas acabou por permanecer nos azuis e brancos.