O Governo do Brasil adiou por dois anos uma avaliação ao nível de alfabetização das crianças brasileiras com sete anos prevista para 2019, segundo informação publicada esta segunda-feira em Diário Oficial.

A suspensão contraria uma decisão tomada pelo Governo do ex-Presidente Michel Temer, que havia anunciado provas para avaliação da alfabetização de crianças com sete anos de idade, e também as metas divulgadas pelo atual chefe de Estado, Jair Bolsonaro, para os 100 dias de seu Governo.

Com o adiamento da prova em dois anos, não será possível comparar a evolução dos níveis de alfabetização das crianças brasileiras com aquelas que fizeram a prova em 2016 e 2014.

Segundo informações divulgadas pela equipa do Presidente brasileiro, que assumiu funções a 01 de janeiro, o Ministério da Educação deverá apresentar ao final dos 100 primeiros dias de Governo uma proposta de Política Nacional de Alfabetização.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão responsável pela prova aplicada para medir o nível de alfabetização das crianças no Brasil, informou que a interrupção permitirá que as escolas possam adaptar-se a mudanças do currículo escolar.

“A avaliação da alfabetização, conforme solicitação da Secretaria de Alfabetização do Ministério da Educação (MEC), foi adiada para 2021, quando as escolas de todo país tiverem implantado a nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e estiverem ajustadas às políticas de alfabetização propostas pela referida Secretaria”, divulgou o Inep.

Em 2016, os estudantes brasileiros fizeram a última edição da Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA), cujos resultados mostraram que mais da metade apresentava nível insuficiente de leitura para série escolar correspondente aos alunos com idade de oito anos.