À semelhança do que já aconteceu com outros fabricantes, a Land Rover viu a primeira geração do seu bem-sucedido Evoque ser vítima de uma réplica na China, onde a marca Landwind comercializava por um terço do valor o X7, nada mais, nada menos do que uma cópia descarada do SUV britânico. Inconformado, o construtor inglês não baixou os braços e procurou que a justiça lhe desse razão. O que nunca antes tinha acontecido, mas acabou finalmente por se verificar, o que abre um importante precedente.

O caso remonta a 2014, quando o Grupo Jiangling apresentou no Salão de Guangzhou o Landwind E32, na altura ainda como protótipo, mas claramente baseado na estética do Evoque. Perante a evidência de que, se nada fizessem, o protótipo chegaria à versão de produção, os advogados da Jaguar Land Rover (JLR) colocaram-se de imediato em campo, tentando impedir isso de acontecer. Sem sucesso. Para mais, na altura, o preço do Evoque incorporava os custos inerentes à sua importação, o que limitava a competitividade do SUV face à sua réplica barata.

Foi assim, tipo fotocópia, que o Landwind X7 foi lançado em 2015

Depois de ver a justiça chinesa negar-lhe o direito à propriedade industrial, o que permitiu que o Landwind X7 começasse a ser vendido lado a lado com o Evoque, eis que um tribunal do distrito de Chaoyang, Pequim, reconheceu que o SUV da Jiangling incorpora cinco características únicas que foram copiadas do Evoque. Mais, o tribunal considerou ainda que as parecenças entre os dois modelos dão azo à confusão junto dos consumidores. Resultado: foi decretado que o fabrico e a comercialização do Landwind X7 deveriam cessar de imediato, além de a Jiangling ser condenada a pagar uma indemnização à JLR (o montante não foi tornado público) pelos danos causados. De realçar que, depois da queda nas vendas da JLR na China, a Landwind vende praticamente o mesmo que a Land Rover nesse mercado. Nos primeiros dois meses, foram comercializados 3.342 Land Rover e 2.746 Landwind.

Trata-se de uma decisão histórica, com a qual a marca britânica se congratula, uma vez que nunca antes uma marca estrangeira de automóveis venceu um caso de concorrência desleal nas instâncias chinesas.

O actual Landwind X7 foi alvo de um facelift em 2017. É certo que é um restyling da cópia, mas nesta actualização também passou a dar uns certos ares de SsangYong Korando…