O número de pessoas afetadas pelo ciclone Idai no centro de Moçambique ultrapassou esta quarta-feira as 800.000 no registo das autoridades, segundo uma atualização que mantém o número de mortes em 468.

O total de população afetada é agora de 803.984 pessoas, segundo informação distribuída pelo Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC). Já o número de pessoas salvas subiu de 127.626, registado na terça-feira, para 135.827.

Há 135.827 pessoas em 161 centros de acolhimento, mais sete centros que na terça-feira e mais 8.201 utentes. Ainda segundo a atualização desta quarta-feira, os abrigos e bens não alimentares chegam a 28.146 famílias, um aumento de cerca de 3.700 famílias beneficiadas.

[Vídeo: exército português apoia aldeias isoladas de Moçambique:]

Cinco casos de cólera confirmados pelas autoridades moçambicanas

Também esta quarta-feira, as autoridades do país anunciaram que estão confirmados cinco casos de cólera na cidade da Beira, uma das doenças cuja proliferação é mais receada após o ciclone Idai.

Os cinco casos confirmados foram detetados no centro de saúde do Bairro da Munhava, na cidade da Beira, referiu Ussene Isse, Diretor Nacional de Assistência Médica. Aquele responsável diz que os casos podem não ter uma relação direta com a destruição provocada pelo ciclone.

No entanto, conter a proliferação de cólera é uma das prioridades das autoridades devido à falta de condições sanitárias agravada pela tempestade.