Poluição

Moradores de Paio Pires querem saber se o ar está poluído. E vão pagar por isso

Um grupo de cidadãos, que acusa a Siderurgia Nacional de ser responsável pela poluição por poeiras pretas e brancas, vai pagar a uma empresa para que façam análises à qualidade do ar.

Os cidadãos dizem que com um íman é possível apanhar limalhas em qualquer parte da localidade

Miguel Lopes/LUSA

Um grupo de cidadãos da Aldeia de Paio Pires, no Seixal, vai contratar uma empresa para medir a qualidade do ar na zona, noticiou o Diário de Notícias. O objetivo dos moradores é demonstrar que a Siderurgia Nacional é responsável pelas poeiras negras e brancas que cobrem as superfícies da localidade, como carros, vidros e para peitos.

Os Contaminados da Aldeia de Paio Pires, por enquanto um grupo informal, vai constituir-se como uma associação e entregar nos tribunais uma ação cível contra a empresa. Mas para poder demonstrar que as emissões da siderurgia são um risco para a saúde, o grupo de cidadãos precisa de dados que o provem, já que a empresa Megasa garantiu que cumpre todos os requisitos ambientais. Ao Diário de Notícias a empresa disse que já investiu 400 milhões de euros na modernização da fábrica e tem em execução até 2020 um plano para aplicar mais 80 milhões de euros em instalações relacionadas com o ambiente.

Um dos episódios mais significativos e mais recente aconteceu em janeiro. Nessa altura, a GNR recebeu mais de 30 queixas e recolheu amostras do pó. Esta situação motivou a abertura de um inquérito pelo Ministério Público. Os moradores dizem que a Siderurgia Nacional é responsável, mas a Procuradoria-Geral da República disse ao Diário de Notícias que a investigação ainda estava a decorrer e que não havia arguidos constituídos.

Os Contaminados da Aldeia de Paio Pires também já apresentaram uma queixa à União Europeia, pedindo que sejam analisados com a máxima urgência os impactos da poluição atmosférica e sonora alegadamente provocados pela Siderurgia Nacional.

Além do trabalho desenvolvido pela equipa do Instituto Superior Técnico, a Câmara Municipal do Seixal também pediu um estudo epidemiológico à Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP) da Universidade Nova de Lisboa. O estudo está a ser realizado em parceria com o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, teve início a 10 de setembro de 2018 e terá uma duração de 7 meses. A equipa do Centro Tecnológico Nuclear, do Instituto Superior Técnico, também recolheu poeiras que enviou para o Instituto de Investigação Nuclear, da Academia de Ciências Húngara.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: vnovais@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)