Rádio Observador

Poluição

Moradores de Paio Pires querem saber se o ar está poluído. E vão pagar por isso

Um grupo de cidadãos, que acusa a Siderurgia Nacional de ser responsável pela poluição por poeiras pretas e brancas, vai pagar a uma empresa para que façam análises à qualidade do ar.

Os cidadãos dizem que com um íman é possível apanhar limalhas em qualquer parte da localidade

Miguel Lopes/LUSA

Um grupo de cidadãos da Aldeia de Paio Pires, no Seixal, vai contratar uma empresa para medir a qualidade do ar na zona, noticiou o Diário de Notícias. O objetivo dos moradores é demonstrar que a Siderurgia Nacional é responsável pelas poeiras negras e brancas que cobrem as superfícies da localidade, como carros, vidros e para peitos.

Os Contaminados da Aldeia de Paio Pires, por enquanto um grupo informal, vai constituir-se como uma associação e entregar nos tribunais uma ação cível contra a empresa. Mas para poder demonstrar que as emissões da siderurgia são um risco para a saúde, o grupo de cidadãos precisa de dados que o provem, já que a empresa Megasa garantiu que cumpre todos os requisitos ambientais. Ao Diário de Notícias a empresa disse que já investiu 400 milhões de euros na modernização da fábrica e tem em execução até 2020 um plano para aplicar mais 80 milhões de euros em instalações relacionadas com o ambiente.

Um dos episódios mais significativos e mais recente aconteceu em janeiro. Nessa altura, a GNR recebeu mais de 30 queixas e recolheu amostras do pó. Esta situação motivou a abertura de um inquérito pelo Ministério Público. Os moradores dizem que a Siderurgia Nacional é responsável, mas a Procuradoria-Geral da República disse ao Diário de Notícias que a investigação ainda estava a decorrer e que não havia arguidos constituídos.

Os Contaminados da Aldeia de Paio Pires também já apresentaram uma queixa à União Europeia, pedindo que sejam analisados com a máxima urgência os impactos da poluição atmosférica e sonora alegadamente provocados pela Siderurgia Nacional.

Além do trabalho desenvolvido pela equipa do Instituto Superior Técnico, a Câmara Municipal do Seixal também pediu um estudo epidemiológico à Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP) da Universidade Nova de Lisboa. O estudo está a ser realizado em parceria com o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, teve início a 10 de setembro de 2018 e terá uma duração de 7 meses. A equipa do Centro Tecnológico Nuclear, do Instituto Superior Técnico, também recolheu poeiras que enviou para o Instituto de Investigação Nuclear, da Academia de Ciências Húngara.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: vnovais@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)