Recep Tayyio Erdogan é presidente da Turquia há 16 anos, mas enfrenta pela primeira vez um revés eleitoral. Nas eleições municipais realizadas no domingo, o partido de Erdogan (o AKP) perdeu as eleições na capital, Ancara, e se conseguir manter Istambul será por escassos votos, num escrutínio que está a ser visto pelos analistas como um cartão amarelo dos eleitores ao presidente turco.

A própria agência estatal Anadolu confirmou que a oposição, o Partido Republicano do Povo (CHP), ganhou com mais de 50 por cento dos votos contra cerca de 47% dos votos do AKP. Há 25 anos que a câmara municipal da capital era dirigida pelo partido de Erdogan. Em Istambul, quando ainda não estavam contados todos os votos o CHP (com 48,79%) estava ligeiramente à frente do AKP (com 48,51%). O resultado vai ser decidido voto a voto, já que foram levantadas suspeitas sobre 84 urnas na contagem final. Para já, ambos os partidos reclamam vitória.

Os maus resultados nas grandes cidades são mais simbólicos, mas um rude golpe para Erdogan. Isto embora o presidente não tenha perdido, para já, o maioritário apoio popular. Em todo o país — tendo em conta os resultados até agora apurados, o partido do presidente turco, em aliança com o MHP, regista 51,63 por cento do total dos votos contra apenas 37,55 por cento da oposição.

O presidente Erdogan aproveita o facto de ganhar em todo o país para cantar vitória, dizendo que o país escolheu o AKP em “15 eleições consecutivas”.