Rádio Observador

Liga Europa

João não é bluff. João não é flop. João é futuro vezes três (a crónica do Benfica-Eintracht Frankfurt)

1.965

O Benfica venceu o Eintracht mas a noite foi apenas e só de João Félix. O jogador de 19 anos tornou-se o mais novo de sempre a marcar um hat-trick na Liga Europa: fez história, mas é o futuro.

O avançado não conteve as lágrimas quando marcou o terceiro golo

Getty Images

A receção do Benfica ao Eintracht Frankfurt era um daqueles jogos um tanto ou quanto românticos que motivavam regressos e reencontros de jogadores, sítios e clubes. Neste caso, era Luka Jovic que voltava a Lisboa e enfrentava o clube a que ainda pertence, já que está emprestado aos alemães, e Seferovic que reencontrava a equipa que representou durante três temporadas. Sérvio e suíço, que são os melhores marcadores das respetivas equipas, tiveram sortes diferentes no que diz respeito a ser opção para o jogo desta quinta-feira: Jovic foi titular, Seferovic assistiu ao apito inicial a partir do banco de suplentes.

E não foi o único. Bruno Lage voltava a deixar subentendido — ainda que o refira sempre nas conferências de imprensa de antevisão e rescaldo — que a grande prioridade do Benfica é a conquista do Campeonato. O treinador encarnado poupava não só Seferovic mas também Pizzi, que é um dos mais utilizados da equipa, e ainda o capitão André Almeida, que nem sequer integrou a convocatória. Corchia ocupava então a direita da defesa, Cervi fazia de Pizzi junto ao corredor e João Félix estava sozinho na frente, com Gedson a jogar no apoio direto ao ataque e Fejsa a render o lesionado Gabriel. Do outro lado, notava-se a ausência de Haller, avançado francês que costuma ser titular ao lado de Jovic e que não estava sequer no banco de suplentes. Gonçalo Paciência, português ex-FC Porto, começava no banco.

Ficha de jogo

Benfica-Eintracht Frankfurt, 4-2

Primeira mão dos quartos de final da Liga Europa

Estádio da Luz, em Lisboa

Árbitro: Anthony Taylor (Inglaterra)

Benfica: Vlachodimos, Corchia (Pizzi, 66′), Rúben Dias, Jardel, Grimaldo, Fejsa, Samaris (Zivkovic, 85′), Gedson, Rafa (Seferovic, 60′), João Félix, Cervi

Suplentes não utilizados: Svilar, Yuri Ribeiro, Florentino, Jota

Treinador: Bruno Lage

Eintracht Frankfurt: Trapp, Hasebe, Abraham, Hinteregger, N’Dicka, Da Costa, Rode (Gacinovic, 86′), Gelson Fernandes, Kostic, Rebic (Paciência, 68′), Jovic (De Guzmán, 60′)

Suplentes não utilizados: Ronnow, Falette, Willems, Torro

Treinador: Adi Hütter

Golos: João Félix (gp 21′, 43′, 54′), Jovic (40′), Rúben Dias (50′), Gonçalo Paciência (72′)

Ação disciplinar: cartão amarelo a Jovic (4′), a Rebic (26′), a Samaris (82′); cartão vermelho direto a N’Dicka (20′)

O Benfica encontrava então um Eintracht que ainda não tinha perdido no ano civil de 2019 (nove vitórias, seis derrotas) e que trazia dos oitavos de final o balanço de ter eliminado o Inter Milão. Na Bundesliga, a equipa de Frankfurt está no quarto lugar — já longe do topo da classificação, que vai ser discutido entre Bayern Munique e Borussia Dortmund — com possibilidades ainda de chegar à terceira posição que é agora do RB Leipzig. Quer isto dizer que com a Liga dos Campeões praticamente garantida na próxima temporada, o Eintracht tem agora como objetivo real avançar na Liga Europa e sonhar com uma presença na final e com a primeira conquista europeia da história do clube.

Os alemães começaram melhor, com uma pressão muito alta que estava a provocar erros dos jogadores encarnados e que abria autênticas auto-estradas para os elementos do conjunto de Adi Hütter. Logo aos cinco minutos, Jardel falhou a abordagem a uma bola pelo ar e Jovic ficou praticamente isolado em direção a Vlachodimos mas valeu a dobra de Grimaldo, que acelerou e chegou a tempo de aliviar para canto. O Eintracht estava a jogar muito perto das linhas mais recuadas do Benfica — entrou na Luz com um sistema de 3x1x4x2, com um meio-campo muito reforçado que alavancava o ataque — e os encarnados mostravam alguma dificuldade na construção para lá do setor intermédio. O primeiro lance mais rápido da equipa de Bruno Lage só apareceu mesmo aos 13 minutos, quando Cervi surgiu em velocidade na esquerda e tentou assistir João Félix no meio.

A estratégia do Eintracht estava a resultar, estava a provocar erros de Fejsa, Jardel e Rúben Dias e tinha em Jovic uma seta apontada à baliza de Vlachodimos. Tudo foi por água abaixo aos 20 minutos, quando Gedson — que durante a primeira parte apareceu muito móvel em terrenos que não costumam ser os seus, a jogar quase como falso “10” e nas costas de Félix — foi carregado em falta no interior da grande área por N’Dicka. Para além da grande penalidade, o árbitro da partida expulsou o homem que estava a jogar mais na esquerda na defesa dos alemães e deixou o Eintracht a jogar com menos um elemento. Na conversão, João Félix calçou as botas de Seferovic e estreou-se a marcar nas competições europeias.

Depois de o Benfica inaugurar o marcador, os alemães recuaram de forma compreensível e tentaram reajustar o modelo de jogo ao facto de estarem a atuar com dez. Do outro lado, os encarnados viam-se em vantagem aos 20 minutos e também não queriam arriscar muito nem provocar um desgaste adicional a uma equipa que está ainda a sofrer com sobreposição de jogos. Existia, porém, um problema: os erros na primeira fase de construção que aconteceram até ao golo de João Félix não desapareceram com o inaugurar do resultado nem com a vantagem numérica. Depois de uma primeira ameaça em valeu novamente Grimaldo a fazer a dobra aos centrais, Fejsa perdeu a bola ainda no meio-campo defensivo dos encarnados, Rebic lançou-se em velocidade na esquerda e à saída de Vlachodimos tocou para Jovic, que rematou para a baliza deserta e empatou (40′).

Mesmo com mais um elemento, o Benfica estava empatado a poucos minutos do intervalo e já tinha sofrido um golo em casa. Mas foi nesta altura que apareceu o rapaz de cabelo comprido e aparelho nos dentes que até nem tem feito grandes exibições nos últimos jogos e que tem andado fugido das capas de jornais que há um mês eram suas quase todos os dias. João Félix, que esta quarta-feira não era avançado, não era “10”, não era médio mas era tudo isto e ainda mais alguma coisa, apareceu com a bola controlada a partir da esquerda, trouxe para a faixa central e rematou rasteiro, encostado ao poste e fora do alcance de Trapp. Mais do que colocar o Benfica novamente em vantagem, Félix fazia história e tornava-se o mais novo de sempre a bisar pelo Benfica nas competições europeias. Até ao intervalo, Cervi ainda esteve perto do terceiro e o Eintracht ainda voltou a colocar a bola dentro da baliza — mas o lance foi anulado por fora de jogo.

A segunda parte começava sem alterações mas o Benfica tinha as estatísticas a seu favor: nos 93 jogos das competições europeias em que os encarnados saíram em vantagem ao intervalo na Luz, nunca perderam. Rúben Dias deu um empurrão aos dados e aos números e fez o terceiro da equipa de Bruno Lage, ao aproveitar um desvio de João Félix depois de um canto batido na direita. O momento da noite, contudo, estava guardado para daí a quatro minutos. A história estava feita na primeira parte, a vitória parecia algo garantida, as manchetes, as capas, as fotografias, os destaques na imprensa internacional: João Félix já tinha tudo isso. Mas quis mais. Quis fazer mais história, agarrar mais a vitória, fazer mais manchetes, estar em mais capas, protagonizar mais fotografias e ser um destaque ainda maior na imprensa internacional.

Grimaldo arrancou na esquerda, cruzou atrasado para Félix e jovem avançado rematou forte e rasteiro por entre as pernas de Kevin Trapp. João Félix selou o primeiro hat-trick da carreira e não conteve as lágrimas ao ajoelhar-se junto à linha de fundo. Ao minuto 54, tornou-se o primeiro jogador do Benfica a marcar três golos num jogo das competições europeias em 27 anos (o último tinha sido Pacheco, em 1992). Mas fez muito mais do que isso. Aos 19 anos, João Félix é o jogador mais novo de sempre a marcar um hat-trick na Liga Europa.

O jogo caiu em ritmo e qualidade a partir do quarto golo do Benfica e o Eintracht até tirou Jovic para reforçar o meio-campo com De Guzmán. A partida passou a ser muito disputada no meio-campo, Seferovic entrou para o lugar de Rafa, Pizzi substituiu um lesionado Corchia e o português Gonçalo Paciência foi lançado para o ataque alemão. O avançado ex-FC Porto entrou no relvado sob uma chuva de assobios e respondeu menos de cinco minutos depois (72′), ao cabecear após um pontapé de canto batido na direita. Nesta altura, o Benfica parecia ter adormecido um pouco e o Eintracht forçava através de passes verticais e transições pelos corredores, com Kostic a ficar perto do terceiro dos alemães ao aparecer quase sozinho já no interior da grande área (78′).

Bruno Lage percebeu que o facto de estar a jogar com menos um elemento não significava que o Eintracht fosse recuar e desistir do encontro. o Benfica passou a jogar mais fechado e com os setores mais juntos, João Félix recuou para trás da linha da bola pela primeira vez na partida e os encarnados jogavam agora apenas no contra-ataque com o objetivo de não sofrer mais nenhum golo e levar para a segunda mão na Alemanha a vantagem de dois golos. A saída de Samaris a cinco minutos do apito final provocou um desequilíbrio no meio-campo encarnado que originou alguma quebra na partida e permitiu ao ataque do Eintracht uma mobilidade que ainda causou calafrios à defesa do Benfica mas acabou por não se materializar em mais nenhum golo.

O Benfica venceu o Eintracht Frankfurt na primeira mão dos quartos de final da Liga Europa e está em boa posição para avançar para as meias-finais (onde vai encontrar o vencedor da eliminatória disputada entre o Slavia Praga e o Chelsea). Ainda assim, os alemães marcaram dois golos fora e podem surpreender em casa. Mas resultados, eliminatórias e contas de mercearia são pormenores algo secundários se olharmos para tudo aquilo que aconteceu na Luz na noite desta quinta-feira. João Félix tem 19 anos e marcou três golos num jogo das competições europeias. João Félix tem 19 anos e é o primeiro jogador do Benfica a assinar um hat-trick na Europa em 27 anos. João Félix tem 19 anos e tornou-se o jogador mais novo de sempre a marcar três golos num jogo da Liga Europa.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mfernandes@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)