Eleições Europeias

Jerónimo de Sousa reúne Nossa Senhora de Fátima, Berardo, PS, CDS e PSD num só discurso

124

O Secretário-geral do PCP marcou presença no jantar de mulheres apoiantes da CDU, em Lisboa, e recordou políticas para as mulheres e pactos entre PS, CDS e PSD.

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

O protagonista dos discursos que se seguiram ao jantar, servido na Casa do Alentejo a mais de 400 apoiantes da CDU, foi sem dúvida Jerónimo de Sousa. Com uma intervenção que parecia cronometrada ao segundo, o secretário-geral do PCP discursou durante 30 minutos e não poupou críticas a PS, PSD e CDS.

Para Jerónimo de Sousa, os três partidos “continuam irmanados na obediência e submissão às imposições da União Europeia”. Por várias vezes o líder do partido insistiu que “os argumentos utilizados são as mesmas opções” do anterior governo do PSD/CDS.

Mas a reação mais intensa da plateia deu-se quando Jerónimo de Sousa se referiu à audição de Joe Berardo, no Parlamento, na Comissão de Inquérito à Caixa Geral de Depósitos, apelidando-a de um “escândalo” e acusando-o de “desfaçatez”.

Assim que se ouviu o nome Joe Berardo os aplausos nas salas deram lugar a assobios e apupos. Efeito conseguido, Jerónimo de Sousa mudou depois de assunto para defender que o Parlamento Europeu precisa de “deputados que defendam os interesses do povo e do país, deputados da CDU”.

Não é por ser comunista que Jerónimo de Sousa é insensível às datas do calendário (muito menos em tempo de campanha eleitoral). E se esta noite ainda se estava no 13 de maio, até a Nossa Senhora de Fátima entrou no comício da CDU, como mote para falar de mães e de políticas de natalidade. O secretário-geral do PCP recordou o alargamento das licenças de parentalidade e a aprovação da licença de maternidade para grávidas em profissões de risco, pagas a 100% entre outras medidas que reclama serem iniciativa do PCP para explicar a todos a importância da presença do partido na solução governativa.

“Para a CDU os direitos das mulheres são para cumprir. No trabalho, na vida social, política, cultural e desportiva”, ia dizendo o líder comunista debaixo de constantes salvas de palmas e gritos de apoio.

“Não gosto de meter água quando estou a intervir”

Nem uma piada faltou ao discurso de Jerónimo de Sousa quando, depois de ter perdido por momentos a voz, respondeu a uma apoiante que lhe pediu que bebesse água: “Não gosto de meter água quando estou a intervir e por isso é que não bebi”.

Jerónimo de Sousa deixou ainda uma “palavra mágica fundamental” para as eleições europeias: confiança.

O candidato às europeias da CDU teve no jantar o ponto alto do primeiro dia da campanha. João Ferreira foi mais comedido nas palavras, mas não deixou de fazer um apelo ao voto.

“Dar mais força à CDU é contribuir para avanços nos direitos das mulheres na Europa, no apoio à luta das mulheres em cada país”, dizia enquanto era aplaudido por centenas de mulheres que se juntaram ao jantar de apoio.

De acordo com o eurodeputado, a opção de assinalar o primeiro dia de campanha com um jantar dedicado às mulheres justifica-se porque “este ainda não é o tempo da igualdade”. Além da violência doméstica e da proteção a mulheres com deficiências João Ferreira referiu ainda a prostituição como “uma grave forma de violência e exploração”.

Para João Ferreira, a CDU afirma-se como “a mais consequente aliada na luta contra os preconceitos e estereótipos sobre o papel da mulher na família, na vida social, política e cultural”.

Oiça as melhores histórias destas eleições europeias no podcast do Observador Eurovisões, publicado de segunda a sexta-feira até ao dia do voto.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rpenela@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)