Viral

Morreu Grumpy Cat, a gata mais famosa da internet

394

Tornou-se uma celebridade da internet praticamente desde que nasceu. Tardar Sauce, a gata maldisposta, morreu "pacificamente" na última terça-feira, tinha 7 anos.

Nasceu em abril de 2012 e morreu na passada terça-feira. Grumpy Cat ficou conhecida como a gata mais famosa da internet

Nasceu a 4 de abril de 2012 e, meses depois, já se tornava um fenómeno viral da internet. Tardar Sauce foi o nome dado pelos donos, em Morristown, no estado do Arizona, mas o mundo apelidou esta gata de semblante maldisposto de Grumpy Cat. Num comunicado divulgado esta sexta-feira nas redes sociais, a família anunciou a morte da gata de sete anos.

“Estamos destroçados por anunciar a perda da nossa querida Grumpy Cat”, afirmaram. “Apesar dos cuidados prestados por profissionais de topo e pela sua família, Grumpy teve complicações derivadas de uma infeção urinária recente que se tornou impossíveis de ultrapassar. Ela faleceu pacificamente na manha de terça-feira, 14 de maio, em casa, nos braços da mãe, Tabatha”, pode ler-se.

“Além de ser o nosso bebé e querido membro da família, Grumpy Cat ajudou milhões de pessoas em todo o mundo a sorrir — mesmo em tempos difíceis”, prossegue o comunicado. O espírito dela continuará vivo através dos seus fãs, onde quer que estejam. A família da Grumpy — Tabatha, Bryan e Chyrstal”.

O ar constantemente maldisposto desta gata começou a correr o mundo em setembro de 2012. Além de ser anã, uma malformação nos dentes foi sempre a origem do focinho rabugento. Dos redes sociais para o mundo real, a fama fê-la viajar e registar inúmeras aparições televisivas. Chegou mesmo a protagonizar o seu próprio filme de Natal — Grumpy Cat’s Worst Christmas Ever. Celebrou contratos comerciais com a Friskies, um patrocínio que durou anos, e com os cereais Honey Nut Cheerios.

A réplica em cera chegou a vários museus Madame Tussauds nos Estados Unidos e também ao de Londres © Larry French/Getty Images for Getty Images for Madame Tussauds

Em 2013, Grumpy Cat foi “entrevistada” para a revista Forbes. No diálogo, o jornalista Michael Noer atribuiu à gata pensamentos filosóficos bem como opiniões nas áreas da arte e da literatura. Em 2015, chegou ao Madame Tussauds de São Francisco. Um ano depois, a sua réplica em cera chegaria a Londres, evento que a levou a atravessar o Atlântico. Além do merchandising, Grumpy Cat fica imortalizada em milhares de memes. Morreu na última terça-feira, tinha sete anos.

Grumpy Cat disfarçada de Princesa Leia

Nas redes sociais, multiplicam-se as reações ao comunicado da família Bundesen. “Obrigado por todos os sorrisos e gargalhadas, Grumpy Cat. Obrigado há família dela por a partilharem connosco”, escreve uma seguidora do Facebook, com cerca de 8.500.000 de seguidores. “Estou de coração partido por vocês. Não há nada que possa dizer que torne isto mais fácil […] Muito amor e obrigado pela inspiração e pelos sorrisos”, lê-se no Instagram, seguindo por quase dois milhões e meio de pessoas. “Boas memórias da tua linda cara maldisposta. A tua vida foi demasiado curta”, no Twitter, onde tem um milhão e meio de seguidores.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)