Uma brigada da Polícia Judiciária esteve esta quinta-feira a realizar buscas na Câmara Municipal de Ponte da Barca, segundo revela o meio de comunicação Minho Digital.

Em causa está uma subida de categoria como funcionário da Câmara Municipal de Inocêncio Araújo, cabeça de lista do PS, horas depois de ter aprovado o orçamento da autarquia, liderada pelo social-democrata Augusto Marinho.

Durante as rusgas, os inspetores da PJ recolheram o depoimento de vários responsáveis por cargos políticos, incluindo o de Maria José Gonçalves. Na época, a vereadora, que tinha, entre outros pelouros, o da Cultura, absteve-se na votação para as opções do Plano e Orçamento de 2019 apresentado pelo executivo da autarquia. Posteriormente, viu os seus cargos serem-lhe retirados por Augusto Marinho.

Tendo em conta a abstenção desta vereadora, a posição favorável de Inocêncio Araújo mostrava-se fundamental para o sucesso do projeto orçamental.

Segundo a mesma fonte, o executivo que lidera a Câmara Municipal de Ponte da Barca tem passado um momento de “paz podre”, com o mal estar e a desagregação a preocupar o PSD sobre as hipóteses de “êxito do partido num próximo acto eleitoral”.