O último ano de vida de Gelson Martins foi uma autêntica montanha russa. Desde o mês de maio do ano passado, por altura do ataque à Academia do Sporting, que o jogador português procura estabilidade: primeiro, procurou estabilidade ao rescindir de forma unilateral com os leões; depois, procurou estabilidade ao assinar pelo Atl. Madrid; sem desistir, procurou estabilidade ao aceitar ser emprestado ao Mónaco; e agora, cerca de um ano depois de sair de Portugal pela primeira vez na carreira, Gelson procura a estabilidade duradoura ao assinar em definitivo pelos monegascos.

A notícia não é propriamente uma surpresa — é mais a oficialização de um desejo do Mónaco, de uma escolha de Gelson e de um dossiê fechado do Atl. Madrid. O jogador formado no Sporting fez metade da temporada passada na capital espanhola mas sem grande sucesso, sem se conseguir afirmar entre as opções habituais de Diego Simeone e longe de capitalizar as boas indicações que deixou ao serviço dos leões em 2017/18. Em janeiro, no mercado de inverno, Gelson saiu para o Mónaco a título de empréstimo, numa tentativa de relançar uma temporada que estava a ser para lá de dececionante e ajudar o clube a evitar a despromoção.

A segunda metade da época trouxe o regresso de Leonardo Jardim ao comando do Mónaco — tinha sido despedido em outubro, foi substituído por Thierry Henry e voltou no final de janeiro –, a chegada dos reforços Cesc Fàbregas e Adrien Silva, quatro golos e quatro assistências em 17 jogos para Gelson Martins e ainda a manutenção do Mónaco no principal escalão do futebol francês. A notória contribuição do avançado português para a permanência dos monegascos acima da linha de água motivou de imediato os rumores de que o clube iria acionar a cláusula de opção de compra presente no acordo de empréstimo: algo que se tornou oficial esta segunda-feira.

“Estamos muitos felizes por poder anunciar a permanência do Gelson aqui. Em poucos meses, mostrou imensas qualidades. A técnica, vivacidade e energia ajudaram a equipa e serão, sem dúvida, ativos valiosos para o futuro do grupo. Estamos confiantes de que o Gelson continuará a crescer e a demonstrar todo o seu potencial”, defendeu Oleg Petrov, vice-presidente do Mónaco, em declarações ao site do clube. O jogador português assinou por cinco temporadas, até 2024, e protagonizou um vídeo de anúncio oficial para as redes sociais do Mónaco.

Nem Mónaco nem Atl. Madrid confirmaram o valor envolvido na transferência: em maio, os espanhóis chegaram a acordo com o Sporting (para regularizar a transferência que tinha sido efetuada depois de Gelson ter rescindido de forma unilateral) e os leões comunicaram à CMVM que os colchoneros pagaram 22,5 milhões de euros pelo internacional português.