Foi o pai de Alf, a coisa de outro mundo politicamente incorreta com um apetite voraz por gatos, de 1986 a 1990. Depois disso e antes de se retirar de vez do mundo das artes, Max Wright teve poucos papéis como ator — nenhum deles tão marcante como o de Willie Tanner –, mas nunca mais se livrou do assédio da imprensa, que lhe foi registando escândalos e infrações.

Agora, por ocasião da sua morte, aos 75 anos, vítima de cancro, os episódios menos edificantes da vida do americano estão a ser recuperados.

O mais chocante será o que o National Enquirer noticiou em 2012. Nessa altura, Max Wright era casado com Linda e que viria a morrer da mesma doença em 2017), com quem tinha dois filhos, já adultos, tinha sido diagnosticado com cancro.

“Estrela de Alf apanhada em casa de crack”, era o título do artigo, de duas páginas, que revelava uma série de fotografias, retiradas de um vídeo que nunca se chegou a saber se foi filmado com ou sem o consentimento do ator, em que Wright aparecia a fumar um cachimbo feito com uma lata de cerveja e a beijar outro homem.

Ao longo do texto — “As mais chocantes fotos de celebridades de sempre” era o ante-título — é entrevistado o realizador improvisado do filme, onde o pai de Alf apareceria a consumir drogas e a ter sexo com dois homens, alegadamente sem-abrigo. “A vida dele estava tão fora de controlo que não tinha medo de apanhar sida. O Max teve sexo sem proteção comigo e com pessoas sem-abrigo, e drogou-se com todos nós. Concordou em ser filmado com dois homossexuais que encontrámos na rua”, contou o homem, protegido pelo anonimato.

Na altura, Max Wright ainda disse que era tudo mentira. Tendo em conta o teor das imagens, ficou-se por isso mesmo.

Anos antes, primeiro em 2000, depois em 2003, o ator, natural de Detroit, cidade industrial do Michigan, já tinha sido notícia por conduzir sob o efeito de álcool. Se nessas ocasiões os escândalos não lhe ditaram o fim da carreira — em 2005 participou em Back to Norm, o telefilme que começava onde a série de 1999 acabou –, depois deste episódio Max Wright nunca mais apareceu em frente às câmaras.

Entretanto separado da mulher, aquele que ficará  para sempre conhecido como o pai de Alf mudou-se para o que tem sido descrito pela imprensa como um “modesto apartamento” em Hermosa Beach, na Califórnia. Nem por isso deixou de ser perseguido pelos tablóides: a última vez que foi notícia foi por ter sido fotografado, à porta de casa a despejar o lixo.  “Despenteado: De roupas largas e descontraídas, careca e enrugado, Max já não se parece com Willie Tanner”, escreveu o Daily Mail em 2015.

Quando as imagens foram captadas a série tinha acabado há um quarto de século e Max Wright estava prestes a completar 72 anos. Morreu na passada quarta-feira, dia 26 de junho, aos 75.