Rádio Observador

Empresas

Acionistas da Corticeira Amorim reorganizam posições devido a aumento de capital

Com estas alterações, o capital social e direitos de voto da Great Prime, acionistas com mais de 33% do capital, passaram, na sua maioria, para a sociedade A Porta da Lua.

OS três acionistas continuam a ser dominados por Maria Fernanda Amorim, viúva de Américo Amorim e detentora de 95% do capital

Tiago Petinga/LUSA

Várias sociedades, responsáveis por uma posição de mais de 10% do capital da Corticeira Amorim e controladas por Maria Fernanda Oliveira Ramos Amorim reorganizaram as suas posições devido a um aumento de capital, segundo um comunicado.

A nota, enviada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) recorda que “a sociedade Investmark é titular de 13.725.157 ações representativas de 10,32% do capital social e direitos de voto da Corticeira Amorim”, sendo que “a Great Prime, S.A. é titular da totalidade do capital social e direitos de voto da Investmark”.

De acordo com o documento, até ao dia 2 de julho, os acionistas da Great Prime eram a API — Amorim Participações Internacionais, SGPS, S.A., Vintage Prime, SGPS, S.A. e Stockprice, SGPS, S.A, cada com 20 mil ações, representativas de 33,33% do capital social e direitos de voto da firma.

Estes três acionistas eram e continuam a ser dominados por Maria Fernanda Oliveira Ramos Amorim (viúva de Américo Amorim), “detentora de 95% do respetivo capital social e direitos de voto”, lê-se na mesma nota.

Em 2 de julho “foi aprovado o aumento de capital da Great Prime, S.A. mediante a emissão de 49.574 novas ações, representativas de cerca de 45,2% do capital social e direitos de voto da referida sociedade, ações essas que foram, integral e exclusivamente, subscritas pela nova acionista A Porta da Lua, S.A., sociedade cujo capital social e direitos de voto são integralmente” detidos por Maria Fernanda Oliveira Ramos Amorim, segundo o comunicado.

Esta operação diluiu as posições dos três acionistas da Great Prime, que ficaram com 18,3% do capital social e direitos de voto da sociedade.

Por isso, de acordo com o comunicado, no dia 3 de julho foi decidida uma amortização da “totalidade das ações de que a Stockprice — SGPS, S.A. era titular, mais concretamente 20 mil ações representativas de cerca de 18,3% do capital social e direitos de voto”, de parte das ações de que a API era titular, representativas de 3,4% do capital social e direitos de voto, e de parte dos títulos de que a Vintage Prime era titular, “mais concretamente 3.753 ações representativas de cerca de 3,4% do capital social e direitos de voto da Great Prime, S.A”, segundo a mesma nota.

Com estas alterações, o capital social e direitos de voto da Great Prime passaram, na sua maioria, para a sociedade A Porta da Lua, num total de 49.574 ações representativas de 60,4% do capital social e direitos de voto.

A API e a Vintage Prime controlam, cada uma, 16.247 ações representativas de 19,8% do capital social e direitos de voto da Great Prime.

Apesar destas mudanças, “a participação qualificada de 13.725.157 ações representativas de 10,32% do capital social e direitos de voto da Corticeira Amorim, SGPS, S.A. continuou a ser imputável” a Maria Fernanda Oliveira Ramos Amorim, por controlar as sociedades acionistas da Great Prime.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)