A banda iraniana Confess foi condenada a 14 anos e meio de prisão pelo tribunal de Teerão. O crime? Tocar heavy metal. O tribunal considera que o duo de músicos insultou a “santidade” da religião islâmica ao fazer propaganda contra o regime. O vocalista da banda, Nikan Khosravi, foi ainda condenado a receber 74 chicotadas, noticia a Loudwire.

Os problemas dos músicos com a lei do Irão começaram em 2015, ano em que foram detidos pela guarda iraniana. Nikan Khosravi e Arash Ilkhani chegaram a ser condenados a pena de morte por “blasfémia” e manifestações anti-regime. Na altura, o vocalista explicou que apenas “escaparam” a esta sentença devido a um erro da lei islâmica.

Foram libertados da prisão de Evin com uma fiança de 80 mil dólares (cerca de 71 mil euros) e aguardaram a nova sentença em liberdade. O duo aproveitou então para fugir para a Turquia. Khosravi e Ilkhani vivem hoje exilados na Noruega, depois de terem assinado um recurso em relação às acusações.

A recente sentença de 14 anos é agora o acumular de várias acusações, como propaganda contra o regime, “ofensa ao líder supremo” e tentativa de fuga do país. O vocalista recebeu uma pena de 12 anos e o tribunal ordenou dois anos para Ilkhani.

Os Confess anunciaram entretanto o lançamento de um novo single chamado EVIN — o nome da prisão onde o duo esteve detido. Nikan Khosravi e Arash Ilkhani afirmam também que a sentença vai ter “algumas consequências para o regime”.