Rádio Observador

Forças Armadas

Chefe das Forças Armadas fala em “situação insustentável”

2.470

Há um ano no cargo, o Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas queixa-se da falta de recursos humanos e fala de uma "situação insustentável". Militares ao serviço já fazem "esforço tremendo".

MIGUEL A. LOPES/LUSA

“O problema mais grave que as Forças Armadas têm é a falta de recursos humanos, mas com os que temos vamos cumprindo as missões”, diz o Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) em entrevista à Renascença e ao Público. Há pouco mais de um ano no cargo, o almirante Silva Ribeiro fala numa situação “insustentável” vivida nas Forças Armadas, cuja falta de recursos humanos faz com que os militares ao serviço façam um “esforço tremendo”.

O CEMGFA refere que a falta de recursos humanos — as Forças Armadas contam com 26 mil efetivos ao invés dos 32 mil que “deveria” ter — faz com que os militares tenham de repetir missões, sendo que o tempo de descanso é curto. “Quando se vai para uma operação destas de combate o stress psicológico nos nossos militares é tremendo e não se pode estar a dar apenas seis meses ou um ano de intervalo, tem de se dar mais. É por isso que muitos abdicam da sua carreira militar, sobretudo os contratados. Isto é insustentável.”

Silva Ribeiro garante que tem “alertado” o Governo para “esta situação de redução dos efetivos das Forças Armadas” e fala em “desequilíbrio”, tendo em conta as missões a cumprir e os meios humanos para o fazer, referindo-se a uma realidade dos efetivos “absolutamente insuficiente”:

Recentemente a um pedido da Proteção Civil dissemos que não tínhamos mais militares para empregar. A Força Aérea já tem problemas para a disponibilidade de pessoal para a manutenção dos seus meios e para a própria vigilância e segurança das unidades. A Marinha tem navios que não têm lotações completas, o Exército tem regimentos que deviam ter 360 praças e têm 100, 120. Este é o problema mais premente das Forças Armadas. Estamos profundamente empenhados em inverter esta situação.

Para o atual Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas a polémica em torno de Tancos revelou precisamente a falta de recursos humanos: estão em falta 4.100 praças no Exército, 535 na Marinha e 950 na Força Aérea. Em causa está também uma questão de vencimentos, com Silva Ribeiro a assinalar a “discrepância entre o de uma praça do quadro permanente e um agente da PSP ou guarda da GNR” que, na mesma categoria, figura em quase 400 euros. “Além disso, há outras questões, as infra-estruturas, os alojamentos, estão degradadas e os jovens não estão dispostos a viver em instalações daquelas”, conclui.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: acmarques@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)