Rádio Observador

Obras Públicas

Governo autoriza obras de 1,3 milhões na urgência do hospital de Torres Vedras

744

Projeto contempla remodelação da urgência, onde há “muitas deficiências e o espaço é desadequado”, criando “melhores condições para os utentes e para os profissionais”, disse a presidente do conselho.

Vão ser feitas também obras nas instalações sanitárias dos utentes no internamento dos serviços de cirurgia e medicina

CARLOS BARROSO/LUSA

O Governo autorizou nesta quinta-feira o Centro Hospitalar do Oeste (CHO) a repartir por 2019 e 2020 as obras de 1,3 milhões de euros na urgência de Torres Vedras, cujo concurso a instituição deverá lançar até setembro.

Numa portaria publicada nesta quinta-feira em Diário da República, os ministérios da Saúde e das Finanças “autorizam o CHO a proceder à repartição de encargos até ao montante de 1,3 milhões de euros” pelos anos de 2019 (142 mil euros) e 2020 (1,2 milhões de euros).

A presidente do conselho de administração do CHO, Elsa Banza, disse à agência Lusa que estima lançar o concurso público até setembro.

“Falta rever o projeto, para o qual já foi lançado um procedimento, e esperamos que esse processo seja rápido”, justificou.

O projeto contempla a remodelação da urgência, onde há “muitas deficiências e o espaço é desadequado”, criando “melhores condições para os utentes e para os profissionais”, explicou.

A urgência vai ser ampliada para o espaço do atual refeitório, aumentando para aí o espaço da sala de observação.

O refeitório vai ser transferido para outro local do edifício.

Vão ser feitas também obras nas instalações sanitárias dos utentes no internamento dos serviços de cirurgia e medicina.

Com um prazo de execução de ano e meio, a intervenção é financiada em 25% por fundos comunitários, estando a candidatura já aprovada.

Já as obras de ampliação da urgência de Caldas da Rainha, orçadas em 1,7 milhões de euros, deverão terminar dentro de um mês, adiantou Elsa Banza.

A remodelação e ampliação do serviço de urgência médico-cirúrgica da unidade das Caldas da Rainha contempla a criação de uma segunda sala de observação – com 264 metros quadrados e capacidade para 20 camas – e a criação de um espaço complementar para 12 cadeirões, que vai permitir retirar doentes dos corredores.

A intervenção incidirá ainda na urgência pediátrica, onde a atual sala de observação será ampliada de 27 para 76 metros quadrados, passando a dispor de seis camas. Passará ainda a contar com uma sala de espera exclusiva, assim como de um balcão de admissão destinado unicamente aos doentes até aos 18 anos.

Com esta alteração, a sala de espera dos adultos será também aumentada, passando de 52 para 93 metros quadrados.

O Centro Hospitalar do Oeste integra os hospitais de Torres Vedras, Caldas da Rainha e de Peniche e serve cerca de 300 mil habitantes daqueles três concelhos, assim como de Óbidos, Bombarral, Cadaval e Lourinhã e parte dos concelhos de Alcobaça (freguesias de Alfeizerão, Benedita e São Martinho do Porto) e de Mafra (com exceção das freguesias de Malveira, Milharado, Santo Estêvão das Galés e Venda do Pinheiro).

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Combustível

O mundo ao contrário /premium

João Pires da Cruz

Se o seu depósito é mais importante do que aquilo que os pais deste bebé sentiram quando lhes disseram que o filho deles morreu instantes depois do nascimento, é porque tem o mundo ao contrário.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)