Trinta e cinco crias de linces ibéricos sobreviveram entre os 50 que nasceram este ano em centros de Espanha e Portugal, anunciou esta terça-feira o programa de conservação Ex-situ, que esperava mais sobreviventes.

As crias nasceram de 27 casais, seis dos quais formaram-se no centro de Silves, em Portugal. Dos 50 nascimentos, 35 crias sobreviveram ao desmame, uma percentagem inferior ao verificado em temporadas reprodutivas anteriores, com os dados de entre 2005 e 2018 a apontarem para uma expectativa de entre 37 e 48 crias.

O número inferior de sobreviventes deve-se em parte ao período em que as crias lutam entre si, que este ano provocou a morte de quatro delas.

Os técnicos do projeto destacam que das sete fêmeas que acasalaram pela primeira vez este ano, quatro conseguiram parir.