A fintech [startup de tecnologia financeira] britânica Revolut vai abrir em Matosinhos um centro de suporte operacional e quer criar até 400 postos de trabalho em Portugal. Atualmente, a empresa já tem 70 colaboradores e abriu 35 vagas para estes escritórios no Norte, divulgou a Revolut em comunicado.

Portugal está a emergir rapidamente como um hub de fintechs na Europa e estamos extremamente orgulhosos em integrar esse movimento com a criação de até 400 novos postos de trabalho. No ano passado, aquando da minha visita a Lisboa para a Web Summit, ficou muito claro para mim que o país abraçou integralmente os benefícios que a tecnologia financeira tem para oferecer”, diz Nik Storonsky, fundador e presidente executivo da Revolut.

Só em Portugal, a Revolut já tem mais de 250 mil utilizadores e, com o investimento de quatro milhões de euros no novo centro de suporte, quer aumentar este número. A construção do novo espaço está ainda em fase de conclusão e vai ocupar cerca de quatro mil metros quadrados da antiga fábrica de latas de conservas Amorim Amorim, em Matosinhos. Segundo a empresa, a obra deverá estar concluída “até ao final de 2019”.

À frente do projeto em Portugal está Ricardo Macieira, que antes estava à frene o da Airbnb no país. Ricardo Macieira vai ter “a responsabilidade do desenvolvimento do negócio da Revolut” em Portugal, diz a empresa.

A Revolut foi lançada em julho de 2015. Em quatro anos, tem seis milhões de clientes na Europa. Em novembro, o presidente executivo da empresa vai ser um dos oradores da Web Summit, em Lisboa.