As cartas trocadas entre Agustina Bessa-Luís e Juan Rodolfo Wilcock vão ser editadas, neste mês de setembro, pela Relógio d’Água. A correspondência entre os dois escritores “com afinidades”, que relata “as suas viagens” e em que se fala da vida e da literatura, nunca tinha sido publicada antes.

Além deste volume, com prefácio de Ernesto Montequin, a editora irá fazer regressar em setembro às livrarias o romance O Sermão de Fogo, publicado originalmente em 1963. Este conta a história de Amélia, uma criada de servir, filha de camponeses, que conhece um “destino surpreendeente”. Através dela, são apresentadas “uma série de personagens e destinos arrastados na sua órbita”, referiu a editora.

Um dos nomes maiores da literatura portuguesa contemporânea, Agustina Bessa-Luís morreu a 3 de junho, aos 96 anos, na sua casa na Rua da Gólgota, no Porto. A escritora estava, há muito, afastada da vida pública por motivos de doença.

Além destas duas obras, a Relógio d’Água, que tem vindo a reeditar as obras completas da escritora, maioritariamente indisponíveis no mercado português, vai publicar, em novembro, uma nova edição do romance Prazer e Glória, de 1988.