Os diretores e chefes de serviço do Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE) apresentaram a demissão em bloco, na sequência da auditoria do Tribunal de Contas (TdC), revelou esta sexta-feira à agência Lusa fonte hospitalar.

“Alheios aos motivos que originaram os pagamentos indevidos e considerando que a forma como o processo foi conduzido é lesiva do seu bom nome” apresentam a sua demissão das funções de direção, chefia e coordenação, pode ler-se na carta assinada pelos 23 médicos com cargos de chefia, a que Lusa teve acesso.

Segundo o TdC, o hospital de Évora nomeou administradores que não reuniam os requisitos legais e regulamentares para o exercício do cargo e efetuou eventuais pagamentos indevidos a médicos com funções de chefia.

Tribunal de Contas. Hospital de Évora fez pagamentos ilegais e nomeações à margem das regras

Estas foram as principais conclusões de uma auditoria do TdC à nomeação e atribuição de remunerações acessórias e suplementos a pessoal dirigente no HESE, no período entre 2015 e 2018, cujo relatório, datado de setembro, foi divulgado na quarta-feira.

Hospital de Évora discorda das conclusões de auditoria do Tribunal de Contas