A Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas assina esta quarta-feira, com o embaixador de Israel em Portugal, um protocolo que visa “recuperar, digitalizar e disponibilizar” documentação referente ao tema do judaísmo e ao chamado “Arquivo da Inquisição”.

O comunicado da Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB) esclarece que este protocolo define “uma primeira base de cooperação para recuperar, digitalizar e disponibilizar uma parcela substancial do património arquivístico português referente ao tema do judaísmo, que se encontra à guarda do Arquivo Nacional da Torre do Tombo, designadamente no fundo documental do Tribunal do Santo Ofício, mais conhecido por ‘Arquivo da Inquisição'”.

De acordo com a DGLAB, o embaixador de Israel em Lisboa, Raphael Gamzou, assina o protocolo “em representação de mecenas conhecedores da História dos judeus em Portugal”.

O protocolo permitirá “dar um impulso significativo ao tratamento de documentação relativa à Inquisição, que é das mais procuradas por investigadores de nacionalidade portuguesa e estrangeira, maioritariamente provenientes das comunidades científicas israelitas, americanas, brasileiras, espanholas e holandesas”, conclui o comunicado da DGLAB.