O Grupo Parlamentar do PS apresentou no Parlamento um projeto de resolução em que recomenda ao Governo que garanta que todos os concelhos tenham pelo menos uma estação de correios. Esta recomendação implica a reabertura de mais de 30 lojas próprias dos CTT que fecharam nos últimos anos.

O projeto dos socialistas surge no quadro da renegociação do contrato para o serviço público universal entre o Estado e a empresa que termina em 2020 e depois de a própria administração dos CTT ter referido que pretende reabrir uma série de lojas próprias encerradas, nomeadamente por decisão da anterior gestão liderada por Francisco Lacerda.  Dos 33 concelhos que deixaram de ter uma estação de correios, os CTT reabriram já a estação de Vila Flor, em Trás-os-Montes, e anunciaram a reabertura da loja de Alpiarça no distrito de Santarém até ao final do ano.

Apesar da intenção já sinalizada pela empresa liderada agora por João Bento, os CTT ainda não se comprometeram com um calendário para realizar estas reaberturas. Até porque cada caso terá de ser ponderado em função de vários fatores, como o destino dado entretanto às instalações. No entanto, foi já indicado que será dada prioridade aos concelhos que deixaram de ter uma estação dos correios, e no qual os serviços passaram a ser assegurados por postos geridos por terceiros.

Neste projeto de resolução, os socialistas consideram que os CTT são um “elemento central dos serviços públicos que um país deve conceder aos seus cidadãos” e lembra os “resultados muito relevantes” que a empresa teve quando era pública a nível económico e de prestação de serviços, “funcionando sempre como um instrumento de coesão social e territorial”.

Referem ainda que estes resultados foram postos em causa pela decisão do “Governo PSD/CDS de privatização dos CTT e de entrega das responsabilidades públicas a privados de forma imponderada e lesiva dos interesses dos portugueses, assistimos a uma preocupante degradação do serviço prestado, ao encerramento de estações por todo o país e à diminuição do número de trabalhadores”.

Os socialista sublinham igualmente a preocupação que levou o “regulador a emanar um conjunto de requisitos para o cumprimento cabal do contrato de concessão do serviço postal universal”. E um dos pontos passa precisamente pela existência “de pelo menos uma estação de correio em todos os concelhos do país”.

Estes são os concelhos que deixaram de ter estação, segundo um relatório da Anacom de janeiro deste ano.

  • Gavião
  • Pedrógão Grande
  • Almodôvar
  • Alpiarça (a reabrir até ao final do ano)
  • Vidigueira
  • Barrancos
  • Alvito
  • Cuba
  • Mondim de Bastos
  • Marvão
  • Fronteira
  • Viana do Alentejo
  • Manteigas
  • Penedono
  • Fornos de Algodres
  • Armamar
  • Alvaiázere
  • Aljustrel
  • Avis
  • Mora
  • Terras de Bouro
  • Óbidos
  • Melgaço
  • Vila Velha de Rodão
  • Portel
  • Alcoutim
  • Ourique
  • Sousel
  • Arraiolos
  • Redondo
  • Ribeira de Pena