Inclusão social de pessoas com deficiência ou incapacidade; envelhecimento; e prevenção em saúde. Três temas cada vez mais presentes entre as preocupações da sociedade portuguesa. E que a Fidelidade definiu como prioritários, por corresponderem à essência dos impactos da sua atividade. Assim, e para oferecer uma resposta estruturada às instituições que atuam nestas áreas de intervenção e de alguma forma procuram o seu apoio, a Companhia criou, em 2017, o Prémio Fidelidade Comunidade.

Uma missão de hoje e para sempre

No âmbito desta iniciativa, a Fidelidade disponibiliza, anualmente, meio milhão de euros. Mas mais do que dotar instituições com os meios financeiros que lhes permitam desenvolver as suas próprias atividades e projetos, o Prémio Fidelidade Comunidade compromete-se com uma forma de funcionar transparente e eficiente, seguimento dos projetos no terreno e criação de sinergias, como, por exemplo, parcerias com vários stakeholders ou o voluntariado. O importante é tornar-se num verdadeiro parceiro da comunidade.

Colaboradores e parceiros dão prémio adicional

Mostrar Esconder

Para a Fidelidade, o envolvimento de colaboradores e parceiros — os grandes embaixadores da iniciativa —, é uma condição essencial para o sucesso. A pensar neles, criou o Prémio Especial Colaboradores e o Prémio Especial Parceiros de Negócio, que lhes dão a possibilidade de eleger dois projetos entre os vencedores de cada edição. Os projetos mais votados recebem, assim, um prémio adicional no valor de 3.000 €.

Desta forma cria-se um engagement total, chamando estes importantes stakeholders a uma participação direta no Prémio Fidelidade Comunidade.

As propostas ao Prémio Fidelidade Comunidade são submetidas pelas próprias instituições, e podem assumir objetivos ligados ao seu desenvolvimento organizacional (melhorar processos de gestão, investir na formação de colaboradores ou na comunicação e marketing, entre outros) ou relacionados com a realização de projetos inerentes à sua atividade.

Ultrapassar dificuldades

Admirado pela opinião pública e, muitas vezes, até alvo de ambição profissional por quem deseja trabalhar intensamente pelo bem comum, o dia a dia de uma organização sem fins lucrativos é pontuado por muitas dificuldades, entre as quais o próprio processo de elaboração de uma candidatura.

No sentido de promover a capacitação das entidades neste processo, a Fidelidade tem aumentado o número de sessões de esclarecimento presenciais deslocalizadas pelo país, disponibilizando às instituições que pretendam candidatar-se ao Prémio Fidelidade Comunidade um conhecimento indispensável sobre o objeto do prémio, esclarecimento do formulário ou do próprio regulamento.

Na 3.ª edição, que decorreu em outubro, a Fidelidade realizou 10 sessões de esclarecimento por todo o país, incluindo a Região Autónoma dos Açores, para explicar às entidades sociais como podiam apresentar a sua candidatura. Além disso, e no sentido de poder abranger todas as IPSS interessadas em candidatar-se, teve este mesmo apoio no site do Prémio, através de um vídeo tutorial e de uma sessão de esclarecimento gravada ao vivo.

Acompanhamento é mais-valia

Além do Prémio, as instituições vencedoras passam a ter a Fidelidade como um verdadeiro parceiro, que atua com uma equipa dedicada e próxima, que as acompanha no terreno. Este acompanhamento é fundamental para aferir a verdadeira realidade das entidades, as dificuldades que têm e de que forma podem ser ajudadas. Além do financiamento, são criadas outras sinergias e potenciados outros projetos, muitas vezes através de parcerias com stakeholders ou voluntariado dos colaboradores da empresa.

Um júri independente

Para participar no júri do Prémio Fidelidade Comunidade, a seguradora convidou um conjunto de personalidades cujas visões abrangem os mais diversos setores sociais e que têm um grande conhecimento da realidade social portuguesa. É esta a riqueza de um grupo, que junta as suas capacidades e conhecimento em prol de uma iniciativa. Conheça o júri aqui.

#observamosboascausas