Enfeites de Natal, tapetes de rato e saca-rolhas com imagens do campo de concentração de Auschwitz, desde o arame farpado até às barracas onde as vítimas dormiam, passando pelos vagões de carga onde foram transportados. Estes produtos estiveram disponíveis para serem comprados no portal de e-commerce da gigante Amazon, que já terá retirado alguns após o próprio museu Auschwitz Memorial se ter queixado, através do Twitter, das imagens “perturbadoras” usadas em alguns produtos.

“Vender ‘enfeites de Natal’ com imagens de Auschwitz não nos parece apropriado”, criticou o museu, numa história contada originalmente pelo jornal britânico Metro. Um “saca rolhas com [imagens de] Auschwitz é bastante perturbador e desrespeitoso”, acrescentou o museu, pedindo à Amazon que retirasse esses produtos, que estavam a ser comercializados por terceiros (lojas que anunciam os seus produtos através da Amazon).

Mais tarde, o museu indicou que “parece que a Amazon retirou todos os ‘enfeites de Natal’ com imagens do antigo campo de concentração”, agradecendo a quem repetiu o tweet ajudando a criar pressão sobre o portal de e-commerce liderado por Jeff Bezos, para que os produtos fossem retirados rapidamente.

Contactada pelo Metro, a Amazon indicou que “todos os vendedores têm de cumprir as nossas regras e aqueles que não o fizerem serão visados por uma atuação pela Amazon, incluindo, potencialmente, a eliminação da sua conta”. “Os produtos em questão foram removidos”, termina a Amazon.

Há uma outra retalhista online, a Wish, que também têm os mesmos produtos disponíveis, ainda não havendo informação de que tenham sido retirados.