A última sondagem do YouGov antes das eleições britânicas desta quinta-feira dá a vitória com maioria absoluta a Boris Johnson, embora com uma margem mínima que não afasta ainda a possibilidade de o parlamento ficar dividido numa eleição decisiva para o futuro do Brexit.

Segundo o estudo do YouGov (que apenas se debruça sobre os 632 assentos parlamentares que correspondem à Inglaterra, Escócia e País de Gales, deixando de fora os 18 círculos da Irlanda do Norte), o Partido Conservador obtém 43% das intenções de voto e 339 deputados. Já o Partido Trabalhista, liderado por Jeremy Corbyn, tem 34% dos votos e 231 deputados.

Além dos dois principais partidos do sistema britânico, o SNP (Partido Nacional Escocês) recolheria 3% dos votos e elegeria 41 deputados; enquanto os Liberais Democratas de Jo Swinson conseguiriam 12% dos votos, mas elegeriam apenas 15 deputados. A diferença regista-se porque o SNP recolhe votos essencialmente na Escócia, onde vence vários círculos, enquanto os Liberais Democratas recolhem votos por todo o país, mas vencem muito menos círculos.

O parlamento britânico contaria ainda, segundo a mesma sondagem, com quatro deputados do Plaid Cymru (do País de Gales) e um dos Verdes. Já o Partido do Brexit, de Nigel Farage, fica de fora, não conseguindo a vitória em nenhum círculo eleitoral.

O estudo do YouGov é considerado pela imprensa britânica o mais credível de todos por recorrer a um método estatístico que olha para os grupos demográficos presentes em cada círculo eleitoral e se baseia numa amostra de mais de 100 mil entrevistas.

Para obter a maioria absoluta são necessários 326 deputados. Embora as várias sondagens tenham apontado para que o Partido Conservador de Boris Johnson consiga alcançar o mínimo, a margem não é grande. Tanto que o próprio Johnson já veio, nesta quarta-feira, admitir o risco de falhar a maioria absoluta.

“As sondagens podem estar erradas, e precisamos lutar por cada voto”, assumiu o atual primeiro-ministro britânico. “Esta é uma eleição muito disputada. E precisamos de todos os votos. A única alternativa matematicamente [possível] a um governo Conservador com maioria absoluta é o risco real de outro parlamento dividido.”

Por isso, Boris Johnson tem-se multiplicado em esforços de campanha na reta final. Depois de ter recriado uma cena do filme “O Amor Acontece” para apelar ao voto no Partido Conservador, Johnson fez nesta quarta-feira uma ação de campanha que captou toda a atenção mediática ao atravessar uma parede de blocos de esferovite onde se lia a palavra “bloqueio” com uma retroescavadora decorada com a bandeira britânica e com a expressão “Get Brexit Done”, durante uma visita à sede da fabricante de retroescavadoras JCB na cidade de Uttoxeter.