Desde 1976 que o cargo não era ocupado. Agora, com a nova Constituição a restituir a figura do primeiro-ministro em Cuba, o presidente Miguel Díaz-Canel nomeou o ministro do Turismo para esta função. E se Manuel Marrero é um dos nomes de quem se fala desde sábado, quando a nomeação foi conhecida, coube ao seu filho o monopólio de todas as atenções nos dias que se seguiram.

E tudo porque o estilo de vida cultivado por Manuel Alejandro exibe o recurso a privilégios que levantam polémica, como até há bem pouco tempo era visível através da sua conta de Instagram, inicialmente aberta ao público e entretanto tornada privada.

A manobra de pouco serviu perante a rapidez de alguma imprensa, que conseguiu apanhar várias imagens mais comprometedoras para o jovem, que para além do cenário pautado por festas, viagens, jantares e estadias em hotéis, surge ainda no interior de um dos jatos privados habitualmente usados por figuras como Miguel Díaz-Canel, Raúl Castro e outros altos dirigentes do país quando se deslocam em viagens ao estrangeiro.

Manuel descreve-se nas suas redes sociais como um “amante das viagens, da maquilhagem e viciado em fotografia”, e, segundo diferentes meios, o avião em causa (identificado pela matrícula) é um dos três aparelhos oferecidos pelo antigo presidente venezuelano Hugo Chávez ao governo de Cuba no começo dos anos 2000.

3 fotos

Este domingo, e depois de as imagens do Dassault Falcon 900 não terem escapado aos olhares dos mais atentos, Manuel terá apagado as fotos do seu perfil de Instagram, avançou o Ciber Cuba.

Licenciado em Estudos Socioculturais na Universidade de Holguín, o filho de Manuel Marrero Cruz trabalha como especialista comercial na agência de viagens Gaviota Tours, associada às Forças Armadas.