O multimilionário e CEO da Tesla, Elon Musk, decidiu ir ver a sua própria página da Wikipédia e não gostou do que viu. O próprio sugeriu alterações ao texto e pediu, como partilhou no Twitter, que fosse removida a palavra “investidor”, uma vez que faz “basicamente zero investimento” noutras empresas. Isto porque as participações que Musk detem são em empresas que o próprio criou ou desenvolveu.

No mesmo tweet, Elon Musk confessa que há vários anos que não ia ver a sua página na Wikipédia. “É uma loucura”, comenta. Na sequência, Musk escreveu ainda que “se a Tesla e a SpaceX falirem, eu também [vou à falência]. É assim que deve ser”. O milionário quis com isto dizer que a sua riqueza é as ações que detém nestas duas empresas.

Um utilizador do Twitter perguntou a Musk se a Tesla não contava como investimento, ao que o milionário respondeu que essas são “todas empresas em que eu desempenhei um papel fundamental de fundação.” Outro utilizador sugeriu que Musk fosse citado como “business magnet” (“íman de negócios”), numa alusão a uma piada feita pelo norte-americano em 2018 quando disse que não era um “business magnate” (um “magnata de negócios”), mas um “business magnet”. Musk respondeu “sim” e com mais alguns emojis.

Noutro tweet, Musk queixava-se que a sua wikipédia era uma “zona de guerra” com “ziliões de edições”. E antecipava, com ironia, “um dia eu provavelmente deveria escrever a “minha” versão ficcionada da realidade”.

Apesar das queixas de Musk por ser considerado um “investidor”, a Business Insider recorda que o proprietário da Tesla foi um dos primeiros investidores na startup de pesquisa em inteligência artificial DeepMind antes de ser comprada pela empresa-mãe do Google, Alphabet, em 2014.