Era uma questão de confiança. O FC Porto vencia o Varzim apenas pela margem mínima (2-1), o jogo não estava propriamente bom para nenhum dos lados mas Sérgio Conceição não teve dúvidas no que fazer na última mexida que podia ainda fazer: com o central Diogo Leite, o médio defensivo Loum e o avançado Aboubakar no banco, o que dava várias hipóteses para mudar a equipa, o técnico apostou em mais um jovem formado no clube para disputar os derradeiros cinco minutos (mais descontos). E assim ficou apresentado Vítor Ferreira.

“Como me senti na estreia? Como toda a gente pode imaginar… Quando renovei o contrato com o FC Porto disse que era o início de um sonho e aqui está ele, a começar. É um cliché mas não tenho palavras para descrever o momento. São muitos anos a trabalhar para isto, são muitos anos em que os jogadores da formação fazem muitos esforços, sentem que é difícil chegar até aqui e eu sinto hoje que estou a conseguir chegar. Mas não me quero acomodar, quero mais”, começou por dizer na zona de entrevistas rápidas o médio portista.

Como disse ao plantel quando cheguei, estou muito grato por estar aqui e sou mais um para ajudar. Tenho umas qualidades, outros médios têm outras… Sou mais um para ajudar”, acrescentou.

Já sobre a partida, Vítor Ferreira admitiu que “a equipa podia ter estado melhor em alguns momentos”. “Sabíamos que o Varzim vinha dificultar-nos a vida mas o que interessa é a vitória, estamos nas meias-finais e o que interessa é o próximo jogo”, concluiu na flash interview da SportTV após o apito final, depois de ter recebido cumprimentos especiais dos companheiros antes de ser feita a roda e também do próprio Sérgio Conceição.

Depois de ter começado a carreira na Casa do Benfica da Póvoa do Lanhoso, à semelhança do guarda-redes Diogo Costa que esta noite regressou à titularidade, Vítor Ferreira, de 19 anos, chegou ao FC Porto ainda como infantil, tendo jogado um ano por empréstimo no Padroense na primeira época como juvenil antes de se fixar nos dragões, onde teve um ano de sonho na última temporada em que se sagrou campeão nacional e campeão europeu, no primeiro triunfo de uma equipa portuguesa na Youth League – onde estiveram também Diogo Costa, Tomás Esteves, Diogo Leite, Romário Baró e Fábio Silva, todos já utilizados por Sérgio Conceição esta temporada.

“O Varzim chegou ao empate através de um livre. A origem dessa falta é um erro individual e fomos atrás do prejuízo. Controlámos o jogo mas com o Varzim sempre à espreita de algo mais. A nossa obrigação era passar e passámos. Foi importante dar minutos ao Romário, que já não jogava há algum tempo, e ao Vítor Ferreira, que é um jovem de qualidade e está agora de forma mais efetiva com a equipa principal. Nesse sentido foi positivo”, comentou no final do encontro o técnico portista, que se tornou com este triunfo o primeiro a levar os azuis e brancos às meias da Taça de Portugal em três temporadas consecutivas.