Podemos afirmar, sem grande margem para dúvida, que a Toyota entrou neste ano com o pé direito, uma vez que conta com um número de novidades bastante diversificado para nos mostrar e lançar no mercado até ao final do ano. O ano será tão importante que, para nos mostrar o que há de novo, organizou um evento em Amesterdão com a presença de diversos dos responsáveis da Toyota e da Lexus para nos explicar muitos dos detalhes sobre cada um dos modelos. E tudo antes da apresentação destes mesmos modelos na próxima edição do Salão de Genebra.

Neste contexto, claro que uma das primeiras palavras que ouvimos foi “electrificação”. Afinal, tanto a Toyota como a Lexus têm apostado fortemente neste tema, sendo das principais marcas em termos de vendas de modelos equipados com sistemas híbridos. A ambição de vendas global, até 2025, ronda as 5,5 milhões de unidades comercializadas anualmente, pelo que é necessário expandir a gama atual com cerca de 40 novos modelos electrificados, sendo que 10 serão mesmo veículos com zero emissões poluentes. Para isso, é necessário começar a apostar mais forte em tecnologias que têm estado fechadas numa gaveta, além das mais tradicionais soluções híbridas. E é justamente por isso que o primeiro modelo a aparecer em cena é o novo Toyota Mirai.

13 fotos

Toyota Mirai: a outra forma de ser eléctrico

A Toyota continua apostada e focada na solução da pilha de combustível, até porque não é difícil perceber que, com uma infraestrutura de carregamento utilizável, esta se poderia transformar numa excelente alternativa aos tradicionais modelos elétricos. Com a nova geração do Toyota Mirai, a autonomia em condições regulares ronda os 650 quilómetros, sendo que cada um dos seus abastecimentos poderá durar cerca de cinco minutos, no máximo.

A nova geração do Toyota Mirai representa um avanço no tempo gigante, uma vez que já se distancia do original em mais de cinco anos e parece quase ter saltado duas ou três gerações. O novo modelo inclui uma nova plataforma (GA-L) da família TNGA e conta com dimensões mais generosas em termos de comprimento e distância entre eixos. A carroçaria está mais larga, mas também mais baixa, com uma maior rigidez e com um centro de gravidade mais perto do solo, o que deixa antever uma dinâmica mais apurada. A tracção é feita às rodas traseiras e a suspensão também é mais sofisticada com o objetivo de melhorar o prazer de condução e o ambiente a bordo, que tem agora uma lotação máxima de cinco pessoas, ao contrário das anteriores quatro.

No que diz respeito ao sistema movido a hidrogénio, há agora três reservatórios em vez dos originais dois, dispostos de uma forma mais engenhosa para uma melhor distribuição de peso e contam com uma capacidade de armazenamento de hidrogénio em torno dos 5,6 quilos.

A data de chegada ao mercado nacional poderá acontecer no final deste ano ou no início do próximo e já há previsões de que nessa altura poderão estar a funcionar dois pontos de abastecimentos públicos, um na zona de Lisboa e outro na zona do Porto.

Toyota Yaris: utilitário electrificado

Mudando novamente o badge para o lado da Toyota, voltamos também a falar nos benefícios das quatro tecnologias que a marca tem em comercialização ou que terá em breve: veículos híbridos, híbridos plug-in, totalmente elétricos e movidos a hidrogénio. Até ao ano 2025, a marca prevê que 90%  da sua oferta seja electrificada, mas também que os mesmos 90% estejam integrados na Toyota New Global Architecture (TNGA).

Neste contexto, uma das principais novidades da marca é, obviamente, a nova geração do Toyota Yaris. Trata-se da primeira aplicação do conceito TNGA neste segmento, sendo que a plataforma GA-B traz com ela inúmeros benefícios.

19 fotos

A quarta geração deste modelo tem a carroçaria um pouco mais curta que a do modelo atual, mas conta com uma maior distância entre eixos, está mais larga e com uma altura inferior. Tudo isto faz com que o Yaris tenha um espaço a bordo generoso, ao mesmo tempo que oferece uma dinâmica mais apurada, sendo que nem falta uma posição de condução mais correta, tal como pudemos verificar na unidade presente neste evento.

A versão híbrida será certamente a mais importante da gama, sendo que do lado elétrico podemos contar com um motor mais compacto e com uma bateria mais evoluída e com maior capacidade de regeneração. Do lado do combustível tradicional, está presente uma nova motorização de 1,5 litros e três cilindros, com 116 cavalos de potência e com uma melhor resposta, o que também ajuda no desempenho dinâmico do pequeno Yaris.

15 fotos

Graças a tudo isto, o sistema híbrido consegue agora deslocar o Yaris até aos 130 km/h sem despertar o motor de combustão e usar o modo puramente elétrico durante muito mais tempo, especialmente em ambientes citadinos onde a percentagem de ganho face à geração atual pode chegar aos 80 por cento.

A média de consumo declarada para este modelo é inferior aos 3 litros para cada 100 quilómetros e a data de chegada ao mercado nacional está prevista para o final do Verão deste ano, ainda que ainda não haja preços disponíveis.

8 fotos

Toyota Rav4 Plug-in Hybrid

Também no final do Verão, chegará ao mercado a versão plug-in do Toyota RAV4, sendo este o segundo modelo da marca com este sistema depois das duas gerações do Prius que já o incluíram.

O RAV4 Plug-In Hybrid conta com o mesmo motor elétrico da versão já existente, mas com um ajuste em termos de potência e as baterias deste sistema, como não poderia deixar de ser, têm mais capacidade. Com estas alterações, esta nova versão do RAV4 fica com uma potência máxima combinada acima dos 300 cv e consegue acelerar dos 0 aos 100 km/h em 6,2 segundos. Mas também consegue uma autonomia em torno dos 65 km em modo puramente elétrico segundo a norma WLTP, que é um dos melhores valores do mercado para um híbrido plug-in.

14 fotos

Mas as novidades da Toyota não ficam por aqui. Neste evento em que estivemos presentes, a marca nipónica mostrou-nos uma pequena animação que nos revela a silhueta do seu novo SUV destinado ao segmento B. A versão final deverá ser conhecida no próximo Salão de Genebra, apostamos nós, e trará um modelo de desenho arrojado e muito compacto, com uma dinâmica divertida e muito despachada, inspirada na primeira geração do RAV4.

Gazoo Racing: aqui nascem os desportivos

Depois de todo este cenário de electrificação e da tristeza que acaba por provocar a quem gosta de ouvir os sons dos escapes de um desportivo a acordar numa manhã fria, a entrada no espaço da Gazoo Racing já se faz com um sorriso na cara. Logo na entrada estão os dois Corolla híbridos que receberam o visual GR Sport para ficar com uma imagem mais desportiva, mas ao fundo estão os dois novos brinquedos desenvolvidos inteiramente pela Gazoo Racing.

18 fotos

Basta olharmos uns segundos para as imagens deste evento para percebermos rapidamente que os desejos de Akio Toyoda (CEO da Toyota) se estão a tornar uma realidade. E, se olharmos para o leque de novidades que a marca nipónica tem previsto para este início de ano, podemos facilmente concluir que a era de aborrecimento está mesmo a ficar para trás.

A Gazoo Racing é o departamento da Toyota que tem levado a marca a diversos sucessos em provas como as 24 Horas de LeMans ou o Dakar, mas também no campeonato mundial de ralis. Em paralelo, começou a desenvolver alguns desportivos de estrada, com o objetivo de voltar a despertar este lado mais adormecido da marca nipónica e o primeiro modelo a chegar ao mercado foi o novo Supra, no ano passado.

11 fotos

Para este ano, a GR (Gazoo Racing) apresenta uma nova versão deste modelo, equipada com um motor de 2 litros, mais compacto e leve, com uma potência máxima de 258 cv e uma distribuição de peso perfeita de 50:50 entre os dois eixos. A presença desta motorização faz com que o Supra tenha emagrecido cerca de 100 quilos, o que é muito positivo no comportamento dinâmico de um modelo que se quer ágil e eficaz. Em conjunto com a caixa de velocidades automática ZF de oito relações, esta nova versão do Supra consegue alcançar os 100 km/h em 5,2 segundos e chegar aos 250 km/h de velocidade máxima.

E por ser tão especial para a GR, foi criada uma edição especial desta versão, que está limitada a apenas 200 unidades. O GR Supra Suji Speedway Edition conta com um tom branco específico para a carroçaria e com capas dos espelhos retrovisores em vermelho. As jantes de liga leve de 19 polegadas são pintadas em preto matizado e o habitáculo conta com assentos desportivos em pele e Alcantara com costuras em vermelho. Em opção, esta versão pode ainda incluir um pacote desportivo específico que integra um diferencial traseiro ativo, travões desportivos e o controlo adaptativo da suspensão. A data de chegada ao mercado nacional está prevista para a Primavera, a altura perfeita em que a temperatura aumenta e as suas estradas preferidas se tornam ainda mais apetecíveis.

Pequeno e musculado GR Yaris

O Toyota Supra foi o primeiro modelo de estrada desenvolvido pela Gazoo Racing mas está longe de ser o último. E o segundo modelo deste departamento é capaz de ser ainda mais interessante que o primeiro. Trata-se do GR Yaris, desenvolvido ao mesmo tempo que o Yaris de grande produção, mas com a ajuda dos engenheiros da Gazoo e da equipa de técnicos da Tommi Mäkinen Racing.

O resultado é uma máquina de condução poderosa, afinada para ser ágil, leve e muito precisa. Conta com um novo motor 1.6 turbo de apenas três cilindros, mas com uns incríveis 261 cavalos de potência e 360 Nm de binário, obtidos com a ajuda de tecnologias usadas em competição.

Tanto o capot como as portas são produzidos em alumínio e o tejadilho é fabricado em fibra de carbono, tudo com o objetivo de reduzir ao máximo o peso deste modelo, que fica assim abaixo do Yaris convencional em cerca de 12% e deixa apenas uma proporção de 4,9 kg para cada cavalo.

12 fotos

Além disto, o GR Yaris inclui ainda um novo sistema de tração integral GR-Four, capaz de repartir da melhor forma a potência entre ambos os eixos e entre as rodas de cada eixo. No modo de condução normal, a proporção é de 60:40 entre o eixo dianteiro e o traseiro, no modo mais desportivo, há apenas 30%  potência à frente e 70%  no eixo posterior, mas ainda é possível selecionar um modo de pista, com a potência a ser distribuída igualmente por cada eixo. Em opção, cada cliente do GR Yaris pode também escolher o Circuit Pack, que inclui um diferencial Torsen à frente e outro atrás, bem como jantes de liga leve de 18 polegadas, equipadas com um conjunto de Michelin Pilot Sport 4S.

10 fotos

Os únicos componentes provenientes do Yaris de grande produção são as ópticas, uma vez que toda a carroçaria é exclusiva deste modelo. A via traseira é mais larga em 55 milímetros e o tejadilho é muito mais baixo, com o objetivo de melhorar a aerodinâmica. As entradas de ar dianteiras são muito mais generosas para poderem refrigerar diversos componentes da melhor forma possível, como os enormes travões, por exemplo, e a suspensão traseira conta com uma configuração exclusiva de triângulos sobrepostos para oferecer um desempenho ainda mais eficaz.

O fabrico desta versão do Yaris é feito na exclusiva fábrica de Motomachi no Japão, onde foi criado um novo departamento para os modelos da Gazoo Racing e onde se produziu, por exemplo, o Lexus LFA. O processo de fabrico é o mais artesanal possível, de forma a garantir o máximo de qualidade. A data de chegada ao mercado nacional deverá acontecer no final deste ano ou no início de 2021.

Lexus Electrified: aposta no luxo

A Lexus continua a apostar num patamar de luxo e arte no fabrico de automóveis que poucos construtores conseguem alcançar e conta actualmente com 10 modelos híbridos na sua gama. Mas o início da sua apresentação começa com uma viagem no tempo rumo ao futuro. Para nos transportar, temos acesso ao concept LF-30, o modelo que representa o início da viagem da Lexus no mundo dos automóveis totalmente elétricos.

19 fotos

Trata-se de um protótipo concebido com todos os detalhes e ideias com que podemos apenas sonhar, mas também representa o primeiro passo no caminho de passar muitos destes sonhos a realidade. Inclui um sistema de carregamento sem fios, direcção by wire de ângulo variável em função da velocidade e quatro potentes motores eléctricos, um junto de cada roda, que poderão receber tracção de uma forma individual se assim o sistema o exigir.

O habitáculo tem um desenho semelhante a uma obra de arte, uma vez que foi concebido utilizando toda a mestria dos artesãos da Lexus no desenvolvimento de novos modelos, explorando novos conceitos e a utilização de novos materiais.

O sonho ou a viagem ao futuro proporciona momentos incríveis, mas é necessário acordar e regressar à actualidade. Do outro lado da sala, marca presença o primeiro modelo 100% elétrico da Lexus. Por fora parece ser apenas mais uma versão do SUV UX lançado no ano passado, mas a designação UX300e anuncia a chegada de uma opção totalmente elétrica.

As restantes diferenças passam pela presença de um conjunto de baterias mais volumoso, com uma capacidade de 54 kWh, que obrigaram a modificações estruturais no Lexus UX. Estas modificações fizeram com que a rigidez estrutural ficasse mais elevada e o centro de gravidade um pouco mais baixo, melhorando a agilidade deste modelo.

18 fotos

A autonomia declarada do UX300e supera os 300 km, segundo a norma WLTP. A data de chegada ao mercado nacional, no entanto, só deverá acontecer no início do próximo ano e ainda não há qualquer previsão de preços. O UX300e é o primeiro modelo totalmente elétrico da marca, mas já está previsto um novo híbrido plug-in e uma nova plataforma destinada a modelos elétricos ainda durante este ano.

O que é a Kinto?

Para terminar, a Toyota mostrou-nos ainda a sua nova marca Kinto, destinada aos serviços de mobilidade que se encontra a desenvolver e que incluem soluções destinadas à compra de um automóvel ou simplesmente à sua utilização. Trata-se de uma marca que estará em constante evolução, uma vez que “o cenário actual é apenas de partida e nada tem a ver com o cenário de amanhã”.

Ainda assim, esta nova marca já integra soluções de leasing com manutenção e serviços incluídos, soluções de assinatura de utilização, soluções destinadas a boleias entre amigos, de partilha de automóveis ou mesmo de transportes específicos, sendo já uma das marcas que vai apoiar os próximos Jogos Olímpicos e que está responsável pela mobilidade dos mais variados participantes.