Mais de uma dezena de pessoas estão desde as 8h concentradas na estação da Amadora, em protesto contra a supressão e atrasos de comboios na Linha de Sintra, que causam transtornos diários aos utentes.

Empunhando cartazes onde se pode ler “Basta de viajar como sardinha em lata”, “Mais investimento” ou “Chega de atrasos”, os utentes da Linha de Sintra exigem a melhoria do serviço público ferroviário.

Vasco Ramos, da Comissão de Utentes da Linha de Sintra, explicou à Lusa que nos últimos anos o serviço ferroviário se degradou “de forma significativa”.

Disse ainda que “esta estação [da Amadora] até nem é das piores, mas temos algumas em que chove lá dentro, outras estão muito degradadas e não estão aptas a servir as pessoas no século XXI, como a de Algueirão-Mem Martins, e outras são verdadeiras relíquias”. Referiu que já teve audiências nas câmaras da Amadora e de Sintra, mas que o efeito foi nulo. “O que nos dizem é que vão ver, mas depois não concretizam”, disse

“Há comboios suprimidos, atrasos diários, falta de higiene, desconforto e, nos últimos meses, a situação agravou-se com a chegada do passe Navegante, que veio trazer mais utentes para a linha, mas os comboios são os mesmos”, afirmou.

Em novembro, a Câmara de Sintra anunciou que ia pedir ao Governo e à CP o plano de investimentos para o reforço de meios humanos e de material circulante na Linha de Sintra, devido à “degradação do serviço”, que prejudica diariamente milhares de utentes.

(notícia atualizada às 10h29 com declarações de Vasco Ramos)