Há processos na Ordem dos Advogados desde 2015, notícias a dar conta do esquema de burlas em 2016, em 2008 o autor do esquema, Pedro Miguel Januário Lourenço foi notícia em Portugal e no estrangeiro pela criação de uma página online que permitiria às pessoas divorciar-se em 24 horas. O problema? Tudo não passa de um esquema fraudulento para tirar dinheiro às pessoas sob o pretexto do pagamento de “custas judiciais cobradas pelo Estado”.

A notícia é do Jornal de Notícias, já depois de ter sido noticiado também em 2016 pelo Diário de Notícias, mas o tema continua atual. Em primeiro lugar, o site, que se chama divorcio24horas.pt, ainda está disponível e parece credível já que há ligações na página para as páginas da Segurança Social, Casa Pronta ou Empresa na Hora, por exemplo, em segundo lugar porque os relatos mais recentes de burla têm poucos dias.

O Jornal de Notícias confirmou junto da PSP que há “várias queixas que têm sido encaminhadas para a Polícia Judiciária” e o Conselho Regional do Porto da Ordem dos Advogados confirmou também que há “diligências sobre a atividade do ‘jurista'”, indicando que a atividade de Pedro Lourenço “configura crime de Procuradoria Ilícita”.

O autor dos sites congratula-se com a realização de mais de cinco mil divórcios. Em 2008 concorreu ao prémio Cotec (Associação Empresarial para a Inovação) que tem o patrocínio da Presidência da República e na Wikipedia criou páginas sobre o seu percurso profissional e pessoal que não são coincidentes.

A entidade bancária (21800) fornecida pelo site para o pagamento das quantias indicadas para o suposto divórcio na hora já esteve associada também a burlas em nome da EDP Comercial. Pertence à MediaMedics B.V. uma empresa legal, com sede na Holanda e que tem autorização do Banco de Portugal para operar.