A apresentação de Jorge Silas, no final de setembro, já tinha sido marcada por uma “novidade” desde que o atual elenco diretivo do Sporting tinha tomado posse – ao contrário do que acontecer até aí, foi uma sessão realizada em pleno relvado do Estádio José Alvalade. E essa mudança de cenário tinha uma outra mensagem entrelinhas, com a convicção que o clube iria finalmente estabilizar no plano técnico. Pouco mais de cinco meses depois, outro nome surgiu no horizonte verde e branco e também a sua chegada teve algo de inusitado, com o treinador de saída, neste caso Silas, a anunciar o treinador que estava para chegar, Rúben Amorim.

A primeira conversa informal, o aviso de Viana, Amorim e o acordo verbal: como Silas passou de opção a dispensado em 100 horas

Não foi nada propriamente pensado, conforme tentou perceber o Observador. Aliás, Silas só falou de Amorim, um antigo companheiro de equipa e amigo, porque pensou que, estando já a sua situação resolvida por acordo verbal numa reunião a seguir ao almoço esta terça-feira, poucas horas antes do encontro dos leões com o Famalicão, e havendo uma convicção tão grande na pergunta sobre o técnico dos bracarenses, tudo o resto teria entretanto sido comunicado. Não foi. E com uma manhã de quarta-feira marcada pelas buscas no âmbito da Operação Fora de Jogo às principais sociedades do futebol português, incluindo Sporting e Sp. Braga, o anúncio oficial acabou por retardar um pouco mais, o que levou a CMVM a suspender as ações verde e brancas – até por se tratar, além da troca técnica, de uma operação a envolver um valor “anormal” sobretudo nos treinadores.

Sporting joga em Famalicão, Silas sai, Rúben Amorim já se despediu em Braga – e será o sexto técnico em 18 meses)

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na verdade, faltavam apenas as habituais formalidades para o anúncio, depois de tudo ter ficado fechado durante esta terça-feira: o acordo entre Sporting e Rúben Amorim, com contrato até junho de 2023 por um valor a rondar os dois milhões de euros brutos (mais prémios por objetivos) e uma cláusula de rescisão de 20 milhões de euros, além de mais dois adjuntos; o acordo entre Sporting e Sp. Braga, com os leões a chegarem aos dez milhões que estavam no contrato de Amorim (não se sabendo ainda se envolviam passes de jogadores ou um pagamento mais faseado); e o acordo entre Sp. Braga e Custódio, para passar dos juvenis para os seniores. Aliás, ainda antes de almoçar com António Salvador e Custódio, Amorim já tinha comentado com alguns jogadores que estava de saída dos minhotos, algo que reforçou, de forma “oficial” e perante o grupo todo, esta quarta-feira.

“Vem para cá um grande treinador, que precisa de muita ajuda”. O adeus de Silas, entre o pedido de desculpas e o apoio a Amorim

No entanto, a Operação Fora de Jogo acabou por alterar todos os planos: Silas rescindiu ao final desta tarde com o Sporting, Rúben Amorim poderá ser anunciado ainda hoje à CMVM (até pela suspensão das ações) mas só será apresentado esta quinta-feira oficialmente e depois de ter dado já o treino da manhã em Alcochete e Custódio, que já deu hoje o treino dos minhotos, vai dar mais um treino e só depois será também apresentado nos bracarenses, na véspera da receção ao Portimonense que vai abrir a 24.ª jornada do Campeonato.