“Ninguém consegue ser campeão sozinho.
Nem o Diego em 86…
Que sem esse golo do Burru [Burruchaga] na final, não tinha levantado a taça.
Ou não?
Kempes tinha o Fillol
E a Argentina tem-vos a vocês (…)”

Argentina e futebol confundem-se. Para os argentinos, muita da história das últimas décadas pode resumir-se nos dois títulos de campeões mundiais, em 1978 e 1986. Para o futebol, muita da história das últimas décadas também se pode resumir em dois astros argentinos, Maradona e Messi. E como Argentina e futebol irão sempre continuar a confundir-se, a Associação de Futebol da Argentina fez um vídeo a apelar às pessoas para não saírem de casa baseado nas imagens dos Mundiais ganhos, na Argentina e no México, com o génio de El Pibe Diego à solta – e nem o golo com a mão do número 10 que o inglês Peter Shilton não esqueceu deixou de passar na mensagem.

“Hoje temos o jogo mais difícil das nossas vidas”, alerta o órgão, num vídeo arrepiante de dois minutos e meio com imagens da linha da frente do combate à pandemia da Covid-19 que também tem uma razão de ser. “Tudo isto sabes porquê? Porque nós, os argentinos, não sabíamos o que era estranhar até hoje. Estranhar os nossos pais, estranhar os nossos amigos, estranhar os nossos irmãos, estranhar os nossos sobrinhos, estranhar quem amamos”, resume, antes de fazer alusões a jogos de futebol relacionados com o momento que o mundo atravessa.

“Nunca nos passou pela cabeça que Itália e Espanha pudessem estar perder o jogo antes de nós. E como dói porque somos todos filhos e netos deles. Para que isso não aconteça cá, vamos dar a bola aos capitães, vamos respeitar a distância, não saias para qualquer lado porque ficas fora de jogo e prejudicas a equipa”, prossegue, fazendo menção também à equipa de médicos e polícias pronta a ajudar em qualquer momento e à importância de lavar as mãos com a alusão ao golo da “mão de ouro” de Maradona em 1986. “O rival parece que não existe mas é muito perigoso quando chega a hora de atacar. Não darias as duas taças [de campeões mundiais] que ganhámos para ganharmos esta?”, acrescenta a propósito da Covid-19.

“Custe o que custar, este jogo só podemos ganhar como equipa porque neste país há uma força que é mais forte do que qualquer pandemia: a de nos voltarmos a encontrar, dentro de campo ou em qualquer outro lugar”, concluiu o vídeo lançado pela AFA que registava até hoje um total de 820 casos e 23 mortes.