Dois dos 20 mortos com Covid-19 registados até à meia-noite deste sábado, 4 de abril, tinham entre 40 e 49 anos. É nessa faixa etária que já se registaram quatro das 266 vítimas mortais desde o início da pandemia causada pelo novo coronavírus.

Além deste indicador, o boletim diário divulgado pela Direção-Geral de Saúde este sábado demonstra, também, uma desaceleração do crescimento dos casos confirmados e, também, do número de pessoas internadas e de pessoas em cuidados intensivos. E outra nota, digna de registo: o registo de um morto no Alentejo que aparecia no boletim de sexta-feira foi eliminado (a ARS do Alentejo já tinha dito, na sexta-feira, que não era um caso confirmado de Covid-19, mas apenas suspeito).

Já se despistaram mais de 65 mil casos suspeitos, estando nesta altura a aguardar resultado de análises laboratoriais 5.518 pessoas. Estão 22.858 pessoas sob vigilância das autoridades de saúde. Eis a análise detalhada dos números conhecidos no boletim divulgado este sábado, 4 de abril.

Número total de casos, mortes e recuperados

Os números são um pouco mais animadores do que os da véspera, dia em que se tinha registado o maior aumento diário do número de mortes (37). Nas 24 horas até à meia-noite de sábado houve o registo de mais 20 mortes que, na realidade, corresponderão a 21 porque foi eliminado o registo da morte no Alentejo.

Segundo o Relatório da Direção de Saúde sobre a situação epidemiológica deste sábado, Portugal soma agora 266 vítimas mortais, o que configura uma taxa de mortalidade global de 2,5% (entre confirmações de infeção e registo de mortes).

Em relação aos casos confirmados, registam-se agora 10.524, um aumento de 638 que representa uma subida percentual de 6%, abaixo do ritmo de aumento de cerca de 9% registado nos dois dias anteriores. O número de casos recuperados voltou a crescer, para 75 (mais sete do que na véspera).

Caracterização dos óbitos

Não se confirmando, afinal, a primeira morte por Covid-19 no Alentejo, houve: mais 11 mortos na zona norte do país (141 é o novo total), mais três mortos em Lisboa e Vale do Tejo (54, agora), mais cinco na zona centro (66) e mais dois no Algarve (5).

Um registo importante é que dois dos mortos verificados nestas 24 horas até à meia-noite deste sábado, tinham entre 40 e 49 anos. É nessa faixa etária que já se registaram quatro das 266 vítimas mortais desde o início da pandemia causada pelo novo coronavírus. Há vários dias que apareciam apenas duas mulheres nesta faixa etária: agora há três mulheres e um homem com menos de 50 anos que não resistiram à infeção.

O boletim de sexta-feira apontava para 7 homens mortos entre 50 e 59 anos, um número que passou este sábado para 6. A ministra da Saúde, na conferência de imprensa diária, explicou que essa não é uma gralha no boletim mas, sim, uma consequência de terem sido feitos mais testes laboratoriais, pós-morte, terem eliminado a hipótese de uma morte por Covid-19.

Nessa faixa etária dos 50-59 existem, portanto, 6 homens que não resistiram e 2 mulheres. Já na faixa etária seguinte, entre 60 e 69, morreram mais dois homens (20, no total) e mais uma mulher (4, agora).

Mantém-se a incidência nas pessoas com 70-79 anos (onde já houve 60 mortes) e com mais de 80 anos (170 óbitos com essa idade mais avançado).

Caracterização do número de casos por região

A disseminação do vírus está a aumentar o número de casos – confirmados – a um ritmo diário de 6%-7% nas zonas com mais casos (norte, centro e Lisboa e Vale do Tejo).

No norte já há 6.280 casos confirmados (eram cerca de 5.900 na véspera), no centro do país o número aumentou para 1.372 casos (mais 7% do que na sexta-feira) e na zona de Lisboa e Vale do Tejo o número de casos confirmados superou os 2.500 (2.513, em rigor, mais 7% do que na sexta-feira).

No Alentejo houve uma redução de um caso, que corresponderá ao óbito que foi registado mas que, depois, foi retirada a Covid-19 como causa da morte. Ou seja, não terá havido novas confirmações nas últimas 24 horas na zona do Alentejo. Já no Algarve houve mais três casos: 182, agora.

Finalmente, nos Açores mantêm-se os mesmos 63 casos e na Madeira houve mais um: 51, segundo os últimos dados.

Número de países e casos importados

Mais 27 casos importados, com mais casos vindos de Espanha, EUA, Brasil, entre outros países em que se registou um aumento do número de casos.

O boletim da DGS mantém os 39 países mas aumenta o número de casos importados para 605, 5,8% do total de casos confirmados no país.

Número de casos por grupo etário

Em Portugal já existem 2.241 pessoas com mais de 70 anos infetadas – e confirmadas – com o novo coronavírus. Esse é um total que se reparte entre as 1.242 com 70-79 e 999 com mais de 80 anos, sendo estas as faixas etárias onde as taxas de letalidade são mais elevadas.

A maior concentração de casos mantém-se entre os 40 e os 59 anos, onde foram confirmados 3.836 casos positivos, cerca de 36,5% dos 10.524 globais no país.

Onde os números continuam a subir, embora mais lentamente, é nas faixas etárias mais jovens. Com menos de nove anos já há 150 casos, mais 17 do que na véspera. E entre as crianças/jovens entre 10 e 19 há 252 casos confirmados, mais 14 do que no boletim anterior.

Número de casos internados e nos cuidados intensivos

Depois do aumento exponencial de quinta-feira, em que os casos internados subiram para 1.042 (uma escalada de 44%), nos últimos dois dias houve uma relativa estabilização destes números.

Se na sexta-feira havia 1.058 pessoas internadas, esse total subiu ligeiramente (2%) para 1.075. Há, também, mais seis pessoas em Unidades de Cuidados Intensivos (251 no total).

Número de casos suspeitos, não confirmados, em vigilância e a aguardar resultados

Mais 126 pessoas à espera do resultado do teste à Covid-19, num universo total de 5.518. Os casos não confirmados voltaram a aumentar de forma significativa: dos 59.099 indicados na véspera para os 65.045 apresentados este sábado. Os contactos em vigilância pelas autoridades de saúde registaram um pequeno aumento, de 22.556 para 22.858.

Número de casos por concelho

Lisboa continua a ser o concelho com mais casos: 654, mais 20 do que apresentado no boletim da véspera. Porto (643), Vila Nova de Gaia (468) e Gondomar (447) são os concelhos que se seguem. Além destes,existem já outros oito concelhos com mais de duas centenas de casos positivos: Santa Maria da Feira (212), Coimbra (216), Ovar (222), Sintra (254), Braga (333), Valongo (320), Matosinhos (386) e Maia (404).

Caracterização dos casos confirmados por sintomas

Tosse e febre continuam a ser os principais sintomas. Os sintomas apresentados entre os casos de testes positivos (com informação respeitante a 78% desses casos, a mesma percentagem desta quinta-feira) mantêm-se praticamente inalterados em relação aos últimos dias, com maior preponderância de tosse (60%) e febre (47%), seguidas de dores musculares (32%) e cefaleias (28%). Fraqueza generalizada (25%) e dificuldades respiratórias (18%) são os sintomas com menor taxa de incidência.