Os Estados Unidos da América são o país mais afetado pela pandemia da covid-19, com 19.701 mortos, ultrapassando a Itália, segundo dados divulgados neste sábado pela Universidade Johns Hopkins.

De acordo com as últimas atualizações, há ainda a registar 515 mil casos de infeções confirmados nos Estados Unidos, que se tornam o foco central da pandemia a nível global.

Atualmente, a Itália regista 19.468 mortes e 152.271 pessoas infetadas com o novo coronavírus, de acordo com a contagem feita pela Universidade Johns Hopkins, seguindo-se Espanha com 16.353 mortos e 161.852 infetados.

Na sexta-feira, numa conferência de imprensa, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que irá acompanhar e “ouvir com muita atenção” os assessores para a área da saúde pública, mas voltou a dizer que quer retomar o ritmo da economia quanto antes.

A administração de Trump tinha feito uma estimativa entre 100 mil e 240 mil vítimas mortais por causa da covid-19, mas esta semana o cálculo baixou para cerca de 60 mil mortes.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já provocou mais de 103 mil mortos e infetou mais de 1,7 milhões de pessoas em 193 países e territórios. Dos casos de infeção, mais de 341 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu, com mais de 870 mil infetados e mais de 71 mil mortos, é o que regista o maior número de casos.

Além de Itália, Estados Unidos e Espanha, os países mais afetados são França, com 13.197 mortos (124.869 casos), Reino Unido, 9.875 mortos (78.991 casos), Irão, com 4.357 mortos (70.029 casos), China, com 3.339 mortos (81.953 casos), e Alemanha, com 2.544 mortes (117.658 casos). Em África, há registo de 693 mortos num universo de mais de 12.973 casos em 52 países.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registam-se 470 mortos, mais 35 do que na sexta-feira (+8%), e 15.987 casos de infeção confirmados, o que representa um aumento de 515 em relação a sexta-feira (+3,3%).

Dos infetados, 1.175 estão internados, 233 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 266 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde de 19 de março e até ao final do dia 17 de abril.