Os Jogos Olímpicos de Tóquio, originalmente previstos para o próximo verão (2020), podem não poder acontecer nem no verão de 2021 – a nova data que está em cima da mesa –, admite o presidente da comissão que está a preparar o evento desportivo, Toshiro Muto.

Citado pela agência Associated Press, via Japan Times, o responsável reconheceu que “ninguém pode garantir que terá sido possível ter [a pandemia] sob controlo” até lá. Poucos dias depois de o governo japonês, que tem sido criticado por poder estar a ser lento na resposta à pandemia, anunciar novas medidas restritivas em algumas regiões do país, Toshiro Muto reconheceu que a organização “não está numa situação em que possa dar respostas claras” sobre quando é que os Jogos poderão, mesmo, acontecer.

Várias competições desportivas têm sido remarcadas à luz da nova data – início a 23 de julho de 2021 – para os Jogos Olímpicos, pelo que um novo adiamento levaria, provavelmente, a uma série de outros adiamentos.

“Nós tomámos a decisão de adiar os Jogos por um ano”, explicou Toshiro Muto. “Isto significa que tudo o que podemos fazer é trabalhar arduamente para nos prepararmos para os Jogos. Esperamos sinceramente que até à chegada do próximo ano a Humanidade terá conseguido superar esta crise do coronavírus”, acrescentou o responsável, recusando-se a especular sobre que planos alternativos estão a ser concebidos.

Demorou mas fez-se luz: Jogos Olímpicos de Tóquio adiados para 2021 (mas nunca depois do verão)