Sente que tem bebido mais vinho, nestes últimos dias de isolamento social? Não é beber em excesso — isso é desaconselhável em qualquer cenário — mas sim beber um pouco mais do que fazia habitualmente. Um copo por dia, por exemplo. Independentemente da resposta que lhe estiver a passar pela cabeça neste momento, a verdade é que é muito provável que esteja, de facto, a beber vinho com mais frequência.

O consumo de álcool é muito associado a situações de crise ou ansiedade — duas coisas que, em tempo de novo coronavírus, não faltam. “Estamos a assistir a um aumento do consumo de álcool como forma de resposta ao medo e ao stress causado pela pandemia”, conta ao Washington Post o diretora de investigação clínica da American Psychological Association, C. Vaile Wright. “Muitas pessoas procuram-no [álcool] para se tornarem dormentes perante essa realidade e isso é uma atitude muito humana. Contudo, não é de todo a melhor forma de lidar com a situação”, ressalva.  

Ao mesmo tempo, as medidas de contenção imposta por esta situação global “desativaram” uma série de escapes de ansiedade e felicidade como idas ao ginásio ou beber um copo com os amigos. Alguns desses ritos sociais desapareceram e por isso é também normal que se tente aproveitar aqueles que ainda sobram — como o degustar de um bom copo de vinho à refeição, por exemplo. Num artigo da Wine Enthusiast, uma importadora de vinho de Barcelona explica que apesar da moderação ser essencial sempre que se bebe álcool, “neste período de isolamento e incerteza, mais que nunca é preciso estabelecer rituais que nos façam sentir bem”.

É a propósito deste último raciocínio que surge a lista seguinte, plena de negócios que estão disponíveis para lhe ir entregar uma garrafa de vinho a casa. Muitos produtores estão a fazer vendas diretas através dos seus sites oficiais, por isso, em jeito de complemento às sugestões que se seguem, experimente também espreitar os seus favoritos. Antes disso, os últimos conselhos da já citada doutora White: Ter atenção ao tipo de consumo de álcool — ‘Quando é que estão a beber? Porque estão a beber? Quanto estão a beber?’ –, perceber os seus limites, respeitá-los e equilibrar a gestão da ansiedade ou stress com outras atividades como “exercício físico, dançar, cozinhar, fazer atividades de estimulação cognitiva como puzzles ou palavras-cruzadas ou simplesmente ler um bom livro”.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.