Dark Mode 77,5 kWh poupados com o MEO
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Hoje é um bom dia para mudar os seus hábitos. Saiba mais

MP investiga ataque informático à EDP. Altice também foi alvo, mas diz que as consequências "foram nulas"

O Ministério Público abriu um inquérito ao ataque à EDP feito na segunda-feira. Grupo de piratas informáticos anunciou ter atacado a Altice esta quinta-feira, mas a empresa afirma que falharam.

i

O grupo CyberTeam reivindicou os ataques à EDP e à Altice

Getty Images/iStockphoto

O grupo CyberTeam reivindicou os ataques à EDP e à Altice

Getty Images/iStockphoto

O Ministério Público abriu um inquérito ao ataque aos sistemas informáticos da EDP levado a cabo na segunda-feira, confirmou fonte oficial da Procuradoria Geral da República ao Observador. A investigação decorre agora no Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa.

O grupo que reivindicou o ataque, o CyberTeam, anunciou também ter atacado a Altice na manhã desta quinta-feira. A confirmação foi dada ao Observador pela própria empresa, que garante que “as consequências foram completamente nulas” e que não terá havido exposição pública dos dados dos clientes, nem estão em risco os sistemas de abastecimento de rede.

Pouco antes das sete da manhã, o CyberTeam partilhou uma imagem nas redes sociais em que acusava a antiga Portugal Telecom de ter “uma falha nas torres de transmissão que permite ver todas as mensagens enviadas e ouvir as conversas”. A acusação foi negada pela empresa, que caracteriza as afirmações dos piratas como “completamente falsas”.

André Figueiredo, diretor do departamento de coordenação institucional, corporativa e comunicação da Altice, afirma que todos os dias são alvos de ataques cibernéticos, “às dezenas por semana”, “sem que causem impacto nos sistemas”. É o próprio quem explica como o grupo de hackers “tentou atacar uma plataforma na área residencial e ter acesso aos dados”, mas que, apesar de várias tentativas, não tiveram sucesso. O passo seguinte será enviar os dados da rede de piratas informáticos para o Ministério Público.

Ainda nesta quarta-feira, este conjunto de hackers anunciou fazer um ataque de larga escala a empresas nacionais no próximo dia 25 de abril e prometia deitar abaixo a rede da Meo, através dos servidores da Altice. Trata-se de um grupo composto por hackers brasileiros, franceses e holandeses, mas que inclui também elementos portugueses.

Piratas informáticos ameaçam ataque de larga escala a 25 de abril

De acordo com o Correio da Manhã, foi este mesmo grupo que divulgou endereços de email da Presidência da República e partidos políticos e veio também reivindicar o ataque informático à EDP. Terá bloqueado os sistemas de atendimento aos clientes, e, garante o Expresso, que conseguiram alcançar os dados dos clientes. Sem precisar o número exato de pessoas afetadas, os piratas pedem um resgate de 9,8 milhões de euros, com um prazo de 20 dias para a elétrica poder fazer o pagamento. Contactada pelo Observador, a empresa negou conhecer qualquer pedido de resgate.

Em conferência de imprensa, António Mexia acrescentou que a empresa conseguiu proteger a informação mais sensível relacionada com os sistemas de gestão de redes e abastecimento e garante que o ataque não atingiu a plataforma de gestão dos clientes. A EDP está a repor gradualmente os sistemas afetados dentro de normas de segurança. Entretanto o Expresso adiantou que os piratas terão tido acesso a documentação sobre os gestores da empresa, incluindo passaportes, e das reuniões mantidas com membros do Governo.

Atualizado às 20h50 de quinta-feira.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.