A pandemia do novo coronavírus causou 410 novas mortes em Espanha nas últimas 24 horas, uma descida acentuada no número de mortes face a sábado e o valor mais baixo desde 22 de março (ainda que desde sexta-feira as autoridades espanholas tenham iniciado uma nova série de contagem, com dados enviados pelas comunidades espanholas).

Ainda assim, o total de vítimas por Covid-19 ascende já a 20.453 pessoas em Espanha. O número total de infetados passou para 195.944, com 4.218 novos contágios no último dia.

O total de pessoas curadas também subiu para 77.357 (mais 3,6 %), com 2.695 novas recuperações de doentes com coronavírus, indicam os dados distribuídos pelas comunidades autónomas espanholas. Estas entidades também reportaram 2.526 (11,5 % mais) casos de pessoas com anti-corpos positivos, sem sintomas no momento em que se realizaram os testes.

O pico das mortes em Espanha por causa da pandemia aconteceu em 2 de abril, quando morreram 950 pessoas em 24 horas.

A região com mais casos positivos da covid-19 é a de Madrid, com 54.884 infetados e 7.239 mortos, seguida pela da Catalunha (40.600 e 3.933), a de Castela-Mancha (16.625 e 1.963), a de Castela e Leão (15.621 e 1.458) e a do País Basco (12.569 e 1.062).

Espanha impôs as mais rígidas medidas de confinamento de toda a Europa. O “estado de emergência” está em vigor em Espanha desde 15 de março e até 25 de abril, tendo o chefe de Governo, Pedro Sánchez, anunciado no sábado o prolongamento deste período por mais duas semanas, até à meia-noite de 9 de maio.

Sánchez também avançou a vontade do executivo de começar a “suavizar” as medidas de confinamento, começando por dar aos menores “a possibilidade de saírem de casa e beneficiarem de um momento fora” do seu lar, a partir de segunda-feira 27 de abril.

“Progressivamente, vamos tomar mais medidas e espero que isso seja o mais rapidamente possível”, disse Sánchez, ao mesmo tempo que advertia que, se forem detetados “reveses” na luta contra a covid-19, as decisões serão revistas e tomadas novas medidas.

Por outro lado, o Ministério da Saúde espanhol revelou que vai aprovar hoje uma disposição para “controlar e fixar” os preços das máscaras, com o objetivo de as tornar “acessíveis ao público em geral”.

Espanha é o segundo país no Mundo com o maior número de mortes causadas pelo novo coronavírus, a seguir aos Estados Unidos.