Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Os estudantes do ensino profissional vão fazer exames regionais para o acesso ao ensino superior, segundo avança o jornal Público. Estes alunos para quem foi criada em 2020 uma nova via de acesso ao ensino superior — com vagas específicas abertas pelas instituições e em alternativa aos exames nacionais — vão assim fazer provas organizadas por consórcios de politécnicos e universidades em três zonas do país: Norte, Centro e Sul. Cada região vai promover 14 exames regionais, tantos quanto as áreas científicas em que se organiza o ensino superior.

A ideia desta nova via era de acesso era facilitar o acesso ao superior a estes alunos. Para isso isso as instituições de ensino superior (acima de tudo os politécnicos, mas também as universidades) ficaram este ano autorizadas a criar vagas específicas para alunos do ensino profissional e artístico. O modelo de acesso ainda não tinha sido definido.

O presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos, Pedro Dominguinhos, disse ao Público que não faria sentido os alunos fazerem “provas em todas as instituições a que querem concorrer”. Assim, os alunos que querem concorrer a estas vagas, têm apenas de fazer um exame na universidade ou politécnico mais perto da sua zona de residência. A título de exemplo, um dos consórcios (o do Norte), junta os politécnicos de Bragança, Porto, Cávado e Ave e Viana do Castelo.

As instituições preferiam que o exames únicos a nível nacional, mas devido à atual situação, essa solução seria mais difícil de executar e fica adiada para o próximo ano letivo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR