O empresário Mário Ferreira fechou com a Prisa o acordo da compra de 30,22% da Media Capital, dona da TVI, através da Pluris Investments, segundo um comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). A operação vai custar ao empresário 10,5 milhões de euros, mas ainda está sujeita a validação pelos reguladores.

“O valor implícito da transação coloca o valor da empresa em 130 milhões de euros, com base na posição financeira da Media Capital no final do primeiro trimestre do ano”, escreve a Prisa. “Esta avaliação está acima das últimas estimativas de mercado feitas por analistas, que incluem as considerações sobre o impacto potencial da Covid-19 nos ativos de media”.

A Prisa diz ainda que contabiliza uma perda contabilística de 29 milhões de euros.

“Intransigente e inconformado”. Mário Ferreira, o self-made man do Douro que “quer as coisas à maneira dele”

“A Prisa reitera que considera a Pluris um investidor adequado para a Media Capital, considerando o seu compromisso em promover um projeto prospetivo que fortaleça a posição da Media Capital no mercado, bem como sua competitividade e eficiência, fornecendo apoio financeiro, se necessário, e apoiando a equipa de gestão com a sua experiência”, escreve a Prisa, em comunicado.

Mário Ferreira iria participar no aumento de capital que a Cofina lançou para a compra da Media Capital, daí que o empresário já estivesse envolvido, ainda que indiretamente, na Oferta Pública de Aquisição (OPA) da Cofina à dona da TVI. Com o falhanço da OPA, o dono da Douro Azul começou as negociações com os espanhóis da Prisa de forma a obter uma participação direta.

Mário Ferreira da Douro Azul chegou a acordo com a Prisa para ficar com 30% da TVI