A Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV) lança esta quarta-feira a nova campanha de comunicação dirigida ao mercado nacional, tendo para tal reservado 300 mil euros para investir nos próximos três meses.

“É a nossa resposta ao problema da Covid-19”, disse à agência Lusa o presidente da Comissão, Manuel Pinheiro. “Queremos que a Região esteja ao lado do país nesta fase de recuperação e estamos apostados em recuperar mercado até ao fim do ano”, reforçou.

O responsável notou que “o impacto da Covid-19 foi significativo e na restauração foi devastador”, sendo por isso “importante para o setor do vinho que a restauração recupere“.

“Os produtores mais pequenos foram mais atingidos do que os grandes” por esta crise, devido à sua “menor estrutura financeira”, destacou ainda Manuel Pinheiro.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a CVRVV diz que o mote desta campanha é “O que combina com Verde?” e explica tratar-se de uma “mensagem alicerçada na liberdade, felicidade, reencontro e família como valores fundamentais para um desconfinamento que dá maior expressão aos produtos nacionais”.

“Num momento em que se prepara o regresso aos contatos personalizados junto de profissionais e consumidores” após mais de dois meses de confinamento ditado pela pandemia da Covid-19, a CVRVV diz que readaptou o Plano de Promoção dos Vinhos Verdes para 2020 e reforça a comunicação de diversidade de estilos desses néctares.

O objetivo, acrescenta, é distinguir os vinhos verdes jovens, leves e frescos dos vinhos verdes mais intensos, complexos e estruturados, que tendo estilos diferentes combinam com momentos do dia e de consumo diversos, assim como harmonizam com gastronomias igualmente distintas.

A campanha preparada pela CVRVV para “esta nova fase de comunicação” relembra que “Há um Verde para cada momento”, pelo que o vinho verde assinala o “recomeço”, procurando assim criar “um vínculo emocional positivo com os consumidores.

A mensagem chegará através das redes sociais, em meios exteriores em toda a Região e na imprensa, como sinal de reforço de uma comunicação plural.

A reforçar a campanha, os Vinhos Verdes estarão brevemente com ações promocionais na grande distribuição, com iniciativas para potenciar as vendas”, refere a Comissão.

Será lançado também um programa com o intuito incentivar visitas à Rota dos Vinhos Verdes durante o período de férias em território nacional, que podem permitir “descobrir toda a beleza natural e patrimonial da Região”.

“Neste longo confinamento, estivemos a trabalhar no sentido de ajustar a marca à nova realidade, tanto a nível nacional como internacional, cumprindo com as regras de contenção e distanciamento social que estes tempos nos impõem”, referiu a diretora de Marketing da CVRVV.

Carla Cunha acrescentou que “eventos como festivais de vinho verde agendados para Berlim ou Nova Iorque, ou ações para promoção de negócios entre produtores e compradores internacionais ficaram suspensos até que se reúnam as condições de segurança necessárias à sua execução”.

Apesar disso, salientou que outras ações personalizadas, junto de profissionais e consumidores, estão a ser trabalhadas e por esse motivo “é tempo de fazer chegar a mensagem de liberdade e esperança que o vinho verde pode transmitir”.

Para o presidente Manuel Pinheiro, “é preciso continuar também a comunicar a diversidade de vinhos que a Região dos Vinhos Verdes produz e a levá-los à mesa das famílias em Portugal e no mundo”.

“Todos ambicionamos mais liberdade, todos desejamos conviver mais, e estes são os valores que os Vinhos Verdes representam. Portugal e os portugueses mostraram o seu melhor durante a fase mais crítica destes tempos extraordinários. É chegado o momento de brindar com um vinho verde a um regresso cor de esperança”, completou.