Em entrevista ao Observador esta semana, Pedro Martins já tinha avançado a possibilidade de que os quartos de final e meias-finais das competições europeias poderiam ser disputados na mesma cidade, para evitar deslocações, e com os dois jogos na mesma semana e não separados por sete dias. O treinador do Olympiacos não falou na hipótese de as finais da Liga dos Campeões e da Liga Europa, agendadas para Istambul e para Gdansk, mudarem de localização: mas a verdade é que essa alternativa começa a ganhar força.

Em Espanha, a comunicação social garante que a final da Liga dos Campeões está a afastar-se cada vez mais da Turquia e a aproximar-se do lado mais ocidental da Europa. Segundo a Cadena Cope, a organização turca da final europeia, que deve ser empurrada para o mês de agosto, comunicou à UEFA que não consegue arcar com a perda de receita que o jogo à porta fechada e sem adeptos implica. Além disso, o comité que iria orquestrar a partida decisiva no Estádio Olímpico Atatürk referiu que sem a injeção financeira da venda de bilhetes e de óbvias quebras de lucro no merchandising e outros produtos, não tem fundo de maneio para efetuar as correções sanitárias exigidas e outras alterações estruturais para tornar o recinto seguro e concordante com as recomendações das autoridades de saúde.

“Temos a impressão que controlamos as nossas vidas. Não é verdade”. Pedro Martins, um treinador português na Grécia

Assim sendo, a Cadena Cope garante que a cidade que está nesta altura na linha da frente para receber a final da Liga dos Campeões 2019/20 é Lisboa: sendo que aí entra em jogo o Estádio da Luz, o único que cumpre os requisitos até aqui exigidos pela UEFA para receber uma final da Champions. Ainda assim, essas regulamentações baseiam-se na capacidade do estádio — a Luz tem lugar para mais de 65 mil pessoas, o Estádio José Alvalade para 50 mil –, algo que, tendo em conta que a final deve decorrer sem adeptos ou pelo menos só com uma percentagem diminuta de espectadores, torna-se irrelevante. Contudo, e a confirmar-se este cenário em que a final da Liga dos Campeões passa mesmo para a capital portuguesa, o mais provável é que o jogo seja reagendado para o estádio do Benfica.

A Cadena Cope ressalva, porém, que Lisboa tem ainda concorrência de algumas cidades espanholas, sem especificar quais. A confirmar-se, a capital portuguesa voltava a receber uma final europeia seis anos depois: em 2014, na Luz, o Real Madrid de Cristiano Ronaldo derrotou o Atl. Madrid e conquistou a primeira de quatro Ligas dos Campeões em cinco anos. De recordar que o estádio do Benfica concorreu precisamente para acolher a final da Champions desta temporada mas perdeu para Istambul, assim como o Dragão concorreu para receber a final da Liga Europa e perdeu para Gdansk.

Estádio da Luz é candidato a receber final da Liga dos Campeões em 2020, Estádio do Dragão pode receber final da Liga Europa