O reforço de 504,4 milhões de euros para a saúde no Orçamento de Estado 2020 vai permitir contratar profissionais até dezembro e integrar os contratados na fase de estado de emergência, garantiu a secretária de Estado da Saúde.

Prevemos, assim, a contratação de mais profissionais de saúde até dezembro, bem como a integração dos profissionais que foram contratados na fase de emergência. Ou seja, teremos um acréscimo de 4,5% face ao Orçamento aprovado para 2020″, declarou a secretária de Estado Adjunta e da Saúde, Jamila Madeira, durante a conferência de imprensa diária de atualização de informação relativa à infeção pelo novo coronavírus (covid-19).

Jamila Madeira considerou que com o reforço de verbas para a Saúde, Portugal vai ter “novamente” mais instrumentos para prosseguir o investimento naquele setor.

Conforme anunciado pelo Plano Estabilização Económica e Social este investimento [504,4 milhões de euros], permitirá dar corpo aos objetivos prioritários que assumimos neste contexto de emergência de saúde pública, de recuperação da atividade assistencial, de reforço da resposta de medicina intensiva, de resposta da rede laboratorial, de valorização dos profissionais do SNS e da saúde pública e de reforço nas redes de sistemas de informação em saúde”, explicou a governante.

Jamila Madeira observou que apesar do “esforço de todos” para que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) tenha cumprido a sua missão na resposta à pandemia, o Governo quer ir “mais longe”.

“Estamos a construir, pedra a pedra, empenhando os recursos do país e de todos nós neste que é um dos pilares da nossa democracia. Um SNS mais robusto, cada vez mais resiliente e apto a continuar a transmitir a confiança e segurança que os portugueses precisam e merecem para encarar o futuro”, concluiu.

Portugal regista esta quinta-feira 1.504 mortes relacionadas com a covid-19, mais sete do que na quarta-feira, e 35.910 infetados, mais 310, segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde.