A Uber anunciou nesta quinta-feira que o seu serviço de entrega de comida ao domicílio, o Uber Eats, vai passar a funcionar durante 24 horas no centro de Lisboa entre quinta-feira e domingo. No resto dos dias, os horários foram estendidos até às 6 horas da manhã.

Inicialmente, os utilizadores vão poder utilizar este serviço durante 24 horas com pedidos feitos a restaurantes como “A Merendeira”, a “Fábrica dos Bolos do Chile” e da cadeia de comida rápida “McDonald’s”. Além disso, vai ser possível pedir produtos de postos de abastecimento da Galp “em algumas localizações do centro de Lisboa”, diz a empresa. O horário de abertura passa agora a ser às 08h00.

Para quem estiver fora do centro de Lisboa (Área Metropolitana de Lisboa, incluindo Torres Vedras e Setúbal) também há novos horários. Agora, os estafetas da Uber vão poder fazer entregas até às duas horas da manhã, revela a empresa.

Mariana Ascenção, diretora de comunicação da Uber em Portugal, afirma: “Há algum tempo que verificamos um aumento significativo da procura de utilizadores que tentam aceder ao Uber Eats ao longo da madrugada. Este é um passo importante para aumentar a conveniência da aplicação”.

Disponibilizar o serviço de 24 horas no centro de Lisboa permite-nos acompanhar os horários alargados de restaurantes parceiros e assegurar que o serviço está disponível para quem precisa, sempre que precisa”, diz Mariana Ascenção.

O Uber Eats já abrange “mais de 50% da população portuguesa” está disponível em 47 cidade em Portugal. Ao todo, o serviço incluiu mais quatro mil restaurantes. O Uber Eats chegou a Portugal em novembro de 2017 e contava com apenas 90 estabelecimentos no lançamento.

Uber despede cerca de 120 pessoas do Centro de Excelência em Lisboa

O serviço de entrega de comida da Uber tem sido um dos projetos da empresa que tem sido beneficiado numa altura de pandemia. A Uber, que é uma empresa norte-americana, é tradicionalmente associada ao serviço de TVDE (transporte em veículos descaracterizados).

Devido à queda da procura neste serviço de mobilidade por causa da Covid-19, o aumento de pedidos através do Uber Eats não tem sido suficiente para a empresa manter a operação como tinha até março. Na quarta-feira, a empresa assumiu que está a despedir funcionários em Portugal — 30% do Centro de Excelência de Lisboa –, uma decisão que está também a ser implementada noutros mercado.