A Uber vai despedir cerca de 120 pessoas do Centro de Excelência em Lisboa. Este corte de 30% da força de trabalho deste escritório de apoio aos serviços da empresa na Europa surge devido ao impacto da pandemia do novo coronavírus.

Em resposta ao Observador, fonte oficial da Uber em Portugal apenas disse: “Foi uma decisão muito difícil, mas necessária para ajudar a proteger a sustentabilidade a longo prazo da empresa. Apoiaremos todos os colaboradores afetados por estas mudanças e reforçamos o nosso compromisso com o crescimento do nosso negócio em Portugal”.

Inicialmente, esta notícia foi avançada a 9 de junho pela plataforma LisboBob, e replicada na segunda-feira pelo site Esquerda.net. Contudo, estes meios referiam que estariam a ser despedidos 42% dos trabalhadores. Esta quarta-feira o Eco avançou que seriam “cerca de 30%” dos trabalhadores destes escritórios. Ao que o Observador apurou, o corte será realmente de 30%. De acordo com a entrevista em janeiro de Manuel Pina, diretor-geral da Uber em Portugal, serão, assim, cerca de 120 os trabalhadores afetados por esta decisão (o centro tem “cerca de 400 funcionários”, dizia o responsável).

Uber passa a ter informações sobre transportes públicos na app. Entrevista ao novo diretor em Portugal

As notícias de que a força de trabalho direta da Uber teria de ser reduzida devido à pandemia de Covid-19 não são novas. No início de maio, Dara Khosrowshahi, presidente executivo da empresa, abdicou do salário na mesma altura em que anunciou que três mil funcionários iam ser despedidos. Duas semanas depois, a empresa voltou a fazer cortes e despediu 3.700 pessoas.

Uber vai despedir cerca de 3.700 pessoas, CEO abdica de salário base de um milhão de dólares

Logo com os primeiros despedimentos, fonte oficial da Uber afirmava que não comentava o impacto em cada país, mas avançava que estas medidas iam “impactar todos os mercados” onde a empresa opera.

Em janeiro, Manuel Pina mostrava que este número já tinha sido bastante alargado: “No nosso centro de excelência em Lisboa trabalham cerca de 400 pessoas que dão suporte não só a Portugal mas a outros países também”. Além disso, o responsável referia que o escopo desta equipa ia alargar-se para “uma equipa que fala português, que trabalha em conjunto com as autoridades portuguesas em caso de incidente”.

Uber escolhe Lisboa para novo Centro de Excelência Europeu. Vai criar 250 empregos

Em Portugal, a Uber tinha na altura 450 pessoas a trabalhar. Este número incluía os trabalhadores deste centro e as equipas operacionais da Jump, Uber Eats e Uber.

O Centro de Excelência da Uber em Lisboa foi criado em 2017 e tinha como propósito prestar apoio multilingue às operações da Uber na Europa, em países como Espanha, França e Portugal. Inicialmente, a empresa cria criar 250 empregos diretos até 2018.