O treinador do Sporting, Rúben Amorim, afirmou esta terça-feira que jogar pelos leões é “a maior motivação” que o plantel pode ter, em antevisão ao jogo com o Gil Vicente, da 29.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

“Os jogadores do Sporting, neste momento, estão a jogar estes jogos, estão a ganhar um lugar no onze e estão a ganhar um lugar na próxima época. Jogar no Sporting é a maior motivação que podem ter. Todos querem fazer parte do que estamos a construir”, frisou.

O técnico sportinguista voltou a reforçar a intenção de pensar apenas no próximo jogo, com o Gil Vicente, sem pensar em posições na tabela classificativa.

Não pensamos em lugares nenhuns. Temos uma distância menor para o quarto classificado [em relação ao segundo]. Temos de continuar a pensar jogo a jogo. Uma vitória ou uma derrota muda aquilo que se pensa de uma equipa. Não nos importamos com os outros. Na fase em que estamos, o foco é totalmente em nós”, apontou.

A perspetiva é que a partida seja “um bom jogo” entre uma equipa “com jovens irreverentes” e outra “muito experiente”, inclusive entre treinadores, sendo Rúben Amorim o mais novo (35 anos) e Vítor Oliveira o mais velho (66 anos) na I Liga.

“A experiência do jogador tem sempre muita importância no jogo, mas a irreverência da juventude também. Vai ser uma equipa muito experiente, tranquila na tabela, contra um adversário com jovens irreverentes. Prevejo um bom jogo e que o Sporting vença”, analisou.

Rúben Amorim avaliou os gilistas como “uma equipa que ataca com muitos, com um lado direito forte”, mas salientou o trabalho semanal dos leões, que vão “estar preparados” para o encontro.

O cabo-verdiano Jovane Cabral, que tem estado em destaque na retoma da competição, e o argentino Marcos Acuña são ausências confirmadas por Rúben Amorim, devido a lesões, com o treinador dos “verde e brancos” a admitir começar a aplicar uma maior gestão do plantel, devido à crescente intensidade dos jogos.

Vão começar a apertar os jogos neste momento. A intensidade dos treinos e dos jogos faz com que [os jogadores] se sintam mais cansados ou não. Vai haver uma maior gestão do que houve até aqui”, afirmou.

Na antevisão à partida, Vítor Oliveira mostrou-se descrente na possibilidade do Sporting poder disputar o título na próxima temporada, mas Rúben Amorim desvalorizou as palavras do treinador dos galos, sublinhando que a sua equipa “está preparada para vencer o Gil Vicente”.

“Ninguém sabe o que vai acontecer na próxima época. Se calhar, há três jornadas, diziam que o Jovane era um jogador dispensável”, comparou.

Sobre a atual série negativa de resultados no Benfica, que culminou na saída de Bruno Lage do comando técnico das águias, Rúben Amorim não se quis alongar no tema: “O futebol é mesmo isso. Um dia é o mister Lage, outro dia serei eu. É a nossa vida. Um abraço para ele”.

O Sporting, terceiro classificado, com 52 pontos, recebe na quarta-feira o Gil Vicente, 11.º classificado, com 33 pontos, no estádio José Alvalade, em jogo com início marcado para as 21:15, sem público e com arbitragem de Rui Oliveira, da Associação de Futebol do Porto.