A Câmara de Mira está disponível para apoiar financeiramente a requalificação da Escola Secundária de Mira (ESM), apesar de se tratar de um equipamento que pertence à Administração Central, disse esta quarta-feira à agência Lusa o presidente do município.

“Se a requalificação tiver financiamento comunitário, o município de Mira assumirá a componente nacional, ou seja, 15% do investimento total da obra”, garante Raul Almeida. O autarca estima, com base em relatórios dos serviços municipais, que a empreitada de requalificação atinja 1,2 milhões de euros.

Raul Almeida revela ainda que reuniu recentemente, através de videoconferência, com a secretária de Estado da Educação, Susana Amador, a quem tentou sensibilizar para a necessidade de colocar a ESM como prioritária para requalificação, abrindo assim a possibilidade de apresentação de uma candidatura a fundos comunitários.

Na reunião, que se realizou a pedido da autarquia, participaram também a vereadora com o pelouro da Educação e o representante do agrupamento de escolas. “A reunião serviu para reforçar a necessidade urgente da requalificação da Escola Secundária de Mira”, refere Raul Almeida, lembrando que, em 2019, tinha reunido com a anterior secretária de Estado. “Contudo, até ao momento, o processo não teve avanços por parte do Governo”, lamenta.

Num documento enviado à Lusa, a autarquia garante que a requalificação da ESM “tem sido alvo de grande atenção por parte do município, face às degradações evidentes do equipamento”, cuja gestão é de “responsabilidade exclusiva” do Ministério da Educação.

Raul Almeida reforça que, “se a obra tiver financiamento comunitário, o município de Mira assumirá a componente nacional, ou seja, 15% do investimento total”.